Os cocktails de criatividade de Constança Cordeiro

Experiência não lhe falta, apesar de nem ter trinta anos. Constança Raposo Cordeiro é criadora de cocktails com produtos diferentes e naturais. Depois de três anos em Londres regressou a Lisboa para a abrir a sua Toca da Raposa.

Texto de Filipe Gil | Fotografias Leonardo Negrão (Global Imagens)

No centro de Lisboa há uma toca da raposa onde se servem cocktails originais com produtos naturais e de época: coentros, espargos, eucaliptos são apenas alguns dos exemplos. Por detrás destas ideias está Constança Raposo Cordeiro, 28 anos cheios de energia e inquietude em fazer coisas depressa e bem. Tem sido assim desde que decidiu apostar na área de bar, mais concretamente na criação de cocktails, apesar desse não ter sido o plano inicial.

Ligada às artes pela família, a ideia era seguir os estudos na área do design mas o pai, arquiteto de formação, desaconselho-a e intuiu que seguisse a área de turismo. E assim foi.

Ainda durante o curso de gestão hoteleira, na escola do Estoril, estagiou na Marina de Vilamoura. No verão seguiu-se o hotel cinco estrelas Abama, em Tenerife. E logo depois o Penha Longa – onde esteve três anos e chegou a supervisora de sala dos restaurantes Arola e Midori.

Constança Raposo Cordeiro junto ao balcão de pedra do bar Toca da Raposa.
(Leonardo Negrão / Global Imagens)

Mas neste percurso todo foi sentido falta da criatividade. A tal que a queria levar para as artes, não estava esquecida e fez-se sentir. Isso levou Constança a apostar nos cocktails. “Sempre tive a ideia de dar ao cliente algo que fosse criado por mim e no bar é possível fazer isso”.

Decidiu então ir para Londres, algo que sempre esteve nos seus planos. E na cidade onde a criação de cocktails está na vanguarda mundial, começou tudo do zero. Lá, entre vários projetos, esteve no que é considerado um dos 15 melhores bares do mundo, o Hapiness Forgets e mais tarde teve a responsabilidade de ajudar a abrir outro, o Original Sin. E ainda passou pelo Peg and Patriot que ajudou a encontrar um modelo daquilo que queria ter em nome próprio.

A toca da Constança

Isso aconteceu em Lisboa, no verão de 2018. Constança abriu a sua Toca da Raposa, um bar de cocktails criativos e que prima pela originalidade dos produtos usados. Foi fazendo aqui e ali workshops com chefs e bartenders o que a ajudou nas suas criações: “estou muito mais em contacto com chefs e cozinheiros do que com pessoas ligadas ao bar. Acho que a cozinha está muito à frente na utilização de produtos naturais e sazonais do que quem está no bar”.

E quanto pode demorar um cocktail a criar?“Apenas um minuto”, responde igualmente rápida.

Na Toca da Raposa, além de Constança e dos seus cocktails, um dos protagonistas é o balcão quadrado em pedra onde as pessoas se sentam em volta de quem prepara as bebidas. Todos os meses a carta muda, tendo em conta os produtos da época e, mais uma vez, a criatividade de Constança.

E quanto pode demorar um cocktail a criar? “Apenas um minuto”, responde igualmente rápida. “Tenho já uma base de dados extensa e uma grande memória de sabores depois de ter a ideia tudo flui rapidamente”.

Apesar dos cocktails ainda não estarem muito enraizados na cultura portuguesa, Constança acredita que é uma questão de tempo. Por enquanto, continua a deixar a sua criatividade criar cocktails com ingredientes bem portugueses para serem bebidos na sua toca.


Veja também

A Condessa, o Marquês e «o primo de toda a gente»