Gabigol: “O que Jorge Jesus vê dentro de um jogo não é normal”

Gabigol:
Gabriel Barbosa, 'Gabigol' © REUTERS/Diego Vara

Flamengo está a dois pontos da conquista do Brasileirão e na final da Taça Libertadores.

Isaura Almeida

Gabigol teve um jogo agridoce em Porto Alegre. O ex-Benfica marcou o golo que deu o triunfo ao Flamengo frente ao Grémio (1-0) e foi expulso. O resultado deixou o clube carioca à beira de se sagrar campeão do Brasil. No final deixou elogios a Jorge Jesus, um treinador “especial”:

“Todos os treinadores têm a sua qualidade. Acho que é um erro estar a fazer comparações, mas nós temos um que é especial. Já trabalhei com inúmeros treinadores, todos tinham uma qualidade imensa, mas o que o mister está a fazer, o que ele vê dentro de um jogo, não é normal. Ele está num nível muito alto. Ainda bem que ele está aqui, tomara que continue. Muito do que ele fala durante a semana, acontece. Para mim o mais extraordinário é que todos os jogadores estão ao mesmo nível, hoje foi uma prova disso, mas já antes vínhamos rodando a equipa com três ou quatro jogadores e dava resultado. É o trabalho que fazemos durante a semana em que ele tem todo o mérito”, elogiou o avançado do Fla.

E não esqueceu quem o criticou no início. “Ele chegou ao Flamengo a ser criticado pelos jornalistas, diziam que ele estava numa fase descendente da carreira. Teve convites de vários clubes estrangeiros, escolheu o Flamengo. Se ele escolheu o Flamengo é porque sabia que a equipa tinha qualidade para entender o que ele quer e a equipa entende o que ele quer”, defendeu.

“Acho que tem de se estudar o que Jorge Jesus faz, para que todos possam aprender”, diz Gabigol

Gabigol destacou ainda a forma como o técnico eleva o valor do plantel: “Nem todos os treinadores conseguem colocar os jogadores a jogar ao nível que ele está a fazer. Hoje foi prova disso mesmo, mudou oito jogadores e as ideias foram as mesmas. O Flamengo está num nível muito alto de intensidade e competitividade. Tem vindo a fazer um trabalho maravilhoso, não só como mister, mas também fora de campo tem sido um exemplo.”