Chef João Rodrigues e o seu restaurante Feitoria vencem prémios Mesa Marcada

Pelo terceiro ano consecutivo, João Rodrigues domina os Prémios Mesa Marcada, somando o primeiro lugar na categoria de Chefe Preferido e na de Restaurante Preferido. Mas a grande sensação da gala que decorreu a 21 de janeiro, no Ritz Lisboa, foi o chef António Galapito e o seu Prado, que levaram os prémios de Destaque do Ano e Chefe Revelação.

Texto de João Mestre/ Evasões.

Em ano de aniversário redondo, há novidades nos Prémios Mesa Marcada, nomeadamente em matéria de escala: mais categorias premiadas, juri alargado (de 153 para 208 votantes) e o Ritz Lisboa a fazer de palco à cerimónia. Nos resultados da votação, porém, as diferenças são poucas. E isso não é necessariamente mau – por um lado, reforça o enfoque no mérito e não em fenómenos de moda, por outro demonstra que os vencedores não se encostaram à sombra dos seus triunfos passados. Consistência, acima de tudo.

Na edição de 10º aniversário, a votação promovida pelo blogue de gastronomia foi dominada pelo chef João Rodrigues, à semelhança do que acontecera nos dois anos anteriores. Além do primeiro lugar no top 10 de restaurantes preferidos, o timoneiro do Feitoria Belém alcançou o topo da tabela de chefs. José Avillez, outra presença assídua nestas andanças, teve também um ano «de manutenção» – manteve o segundo posto no ranking de chefs e o terceiro no de restaurantes (Belcanto, Lisboa) –, a que somou o Prémio Especial 10 Anos Mesa Marcada, uma nova categoria que distingue o cozinheiro que venceu mais vezes nesta década.

A fechar a primeira metade da tabela ficaram os chefs Henrique Sá Pessoa (3º, uma subida de três lugares, no ano em que alcançou a segunda estrela Michelin para o Alma), Hans Neuner (4º) e Vasco Coelho Santos (5º), e na de restaurantes o Ocean (Porches, 2º), o Alma (Lisboa, 4º) e, destaque da noite, o lisboeta Prado, com um quinto lugar que significou um salto de 105 lugares na tabela, com direito ao Destaque do Ano, prémio que distingue a maior ascensão. António Galapito, o homem responsável pela cozinha do Prado, também deu nas vistas, subindo do 85º para o sexto posto da tabela de chefs (e arrecadando o prémio de Chefe Revelação do Ano).

Em matéria de novidades, foram ainda acrescentadas as categorias de Chefe Pasteleiro do Ano, vencida por Joaquim Sousa, do JNcQuoi (Lisboa), e Prémio Carreira, entregue a Dieter Koschina, do Vila Joya (Albufeira).

Lista completa de vencedores dos Prémios Mesa Marcada 2018:

Prémio Especial “Mesa Diária”
Taberna Sal Grosso, Lisboa

Prémio Especial Destaque do Ano
Prado, Lisboa

Prémio Especial Restaurante Novo do Ano
Epur, Lisboa

Prémio Especial Chefe Revelação do Ano
António Galapito (Prado)

Prémio Especial Chefe de Pastelaria do Ano
Joaquim Sousa, JNcQuoi

Prémio Maria José Macedo Produtor/Fornecedor do Ano
Lugar do Olhar Feliz

Prémio Especial Carreira
Dieter Koschina, Vila Joya

Prémio Especial 10 Anos Mesa Marcada
José Avillez

10 restaurantes preferidos:
1. Feitoria, Lisboa (1º em 2017)
2. Ocean, Porches (2º)
3. Belcanto, Lisboa (3º)
4. Alma, Lisboa (6º)
5. Prado, Lisboa (110º)
6. Euskalduna Studio, Porto (8º)
7. Loco, Lisboa (4º)
8. The Yeatman, Vila Nova de Gaia (5º)
9. Epur, Lisboa (novo)
10. Vila Joya, Albufeira (10º)

10 chefes preferidos:

1. João Rodrigues, Feitoria (1º em 2017)
2. José Avillez, Belcanto (2º)
3. Henrique Sá Pessoa, Alma (6º)
4. Hans Neuner, Ocean (3º)
5. Vasco Coelho Santos, Euskalduna (9º)
6. António Galapito, Prado (85º)
7. Alexandre Silva, Loco (4º)
8. Leonel Pereira, São Gabriel (7º)
9. Dieter Koschina, Vila Joya (8º)
10. Ricardo Costa, The Yeatman (5º)