Alexandra Soveral: A guru da cosmética em Inglaterra

Alexandra Soveral foi para Londres com 17 anos. Aos 48 é uma referência para o mundo da cosmética sustentável e das terapias de rosto.

Texto de Carla Macedo | Fotografias de José Sarmento de Matos, em Londres

Alexandra Soveral diz que se sente sob pressão quando lê na imprensa norte‑americana artigos que falam dela como a guru dos tratamentos faciais e que apenas tenta dar os conselhos holísticos mais apropriados dentro das suas capacidades. Não acredita ser uma guru, «não no sentido do guia espiritual», mas crê que tudo o que faz tem um sentido. Continua a procurar oferecer tratamentos de pele, perfumes e terapias baseados nos princípios da marca que fundou em nome próprio, em 2005: a integridade, a honestidade e a educação.

Desde que Alexandra chegou a Nova Iorque para estabelecer a sua assinatura no spa do Hotel Four Seasons Downtown, já neste ano, a imprensa americana tem repetido o que já parecia um refrão da capital inglesa: «facialist guru».

Com uma clínica e um pequeno laboratório abertos em Elgin Avenue, a dez minutos do Palácio de Kensington, em Londres, Alexandra Soveral é referenciada regularmente pelos meios de comunicação dedicados à beleza e ao bem‑estar como uma das melhores terapeutas de rosto em Inglaterra.

O nome não engana ninguém. Alexandra Soveral nasceu em Portugal e chegou à capital britânica com 17 anos. O Portugal que deixava provisoriamente por um ano era muito diferente do de hoje. Conta que o amor pela natureza foi aprendido em pequena: «Tive uma infância muito livre, podia correr livremente pelos campos durante todo o verão.» É nessa altura que começa a moldar o interesse pela botânica e pela estética que mantém até hoje. «Costumava apanhar flores, prensá‑las e fazer composições com elas. Numa das salas de tratamento da minha clínica tenho uma moldura com uma composição de flores em forma de coração que apanhei quando tinha 6 anos.»

«Tive uma infância muito livre, podia correr livremente pelos campos durante todo o verão.»

Nesse ano de 1987, o plano era estabelecer‑se em Londres por 12 meses, mas assim que chegou percebeu que ali teria a oportunidade de fazer muito mais pela própria vida. Inscreveu‑se na Universidade e nunca mais parou de estudar. «No meu campo de ação não se pode conseguir seja o que for sem ter uma postura académica. O meu trabalho requer uma dedicação constante ao estudo», e acrescenta: «Seria muito feliz se me fechassem num laboratório durante vários anos para estudar melhor as propriedades terapêuticas das plantas.»

Não é o caso. Alexandra Soveral, além de pesquisa e desenvolvimento de produtos para a marca homónima e para outras companhias, dá formação a todos os terapeutas que usam os seus produtos de salão (são hoje vinte em todo o mundo), aplica tratamentos em clientes e faz vídeos no YouTube em que passa os conhecimentos sobre as melhores formas de aplicar determinados produtos no rosto. Mas há mais. Os interesses de Alexandra são muitos. A própria carreira académica demonstra-o: formações em Química, Anatomia, Fisiologia, Arte Francesa e Filosofia da Ciência.

«Seria muito feliz se me fechassem num laboratório durante vários anos para estudar melhor as propriedades terapêuticas das plantas.»

A terapeuta do rosto considera que todas as matérias que estudou contribuem para a atividade que tem hoje, «nada do que aprendemos na vida é um desperdício. Parte do meu trabalho é ligar‑me às pessoas e compreendê‑las de forma a perceber exatamente o que é que lhes está a adoecer a pele. Tendo tantos estudos torna‑se mais fácil encontrar uma ligação com as pessoas».

Para a construção dos produtos a formação também não é despicienda. Alexandra Soveral, a marca de cosmética, distingue‑se por ser orgânica, usar fórmulas sem químicos danosos, SLS nem parabenos. «Seria irresponsável criar produtos que não fossem originados em fontes sustentáveis, mas isto não quer dizer que não possamos fazer fórmulas com tecnologia de ponta.»

«Seria irresponsável criar produtos que não fossem originados em fontes sustentáveis, mas isto não quer dizer que não possamos fazer fórmulas com tecnologia de ponta.»

Os produtos que faz são todos misturados em Londres no seu laboratório e as matérias-primas importadas de várias partes do mundo com garantia de origem sustentável. Mas agora Alexandra Soveral quer começar a cultivar os seus próprios produtos. «Estou a desenvolver um projeto numa pequena porção de terra, a ver se consigo fazer crescer os meus ingredientes». A quinta que está a explorar localiza-se em território português.

Afinal é daí que ainda hoje lhe vem tanta inspiração. «As fragrâncias das rosas e dos jasmins pungentes no verão lembram‑me sempre Portugal, assim como os aromas dos gerânios.» E são essas fragrâncias que estão presentes em grande parte das suas criações.