A sustentabilidade do planeta chegou aos relógios de luxo

Novos relógios e um apelo ao luxo inclusivo e sustentável. Estas foram algumas das mensagens apresentadas recentemente pela Breitling na Suíça.

Texto de Filipe Gil, em Zurique*

Nos arredores de uma Zurique cinzenta e com chuva, vários jornalistas de muitos países europeus foram chamados pela Breitling para assistirem à apresentação de novos relógios. Mas nem só de relógios se falou. O encontro, que já decorreu nos Estados Unidos e que irá decorrer na Ásia em breve.

Num auditório moderno onde um grande ecrã dominou a atenção de todos, a comunicação social, entre os quais o DN Ócio, foi convidada a ver e ouvir de perto o CEO da Breitling, Georges Kern. Algo pouco usual em líderes de empresas de luxo. Na maioria das vezes responsáveis distantes destas reuniões que deixam essa tarefa para os marketeers de serviço ou mesmo para apresentadores profissionais. Não foi o caso.

George Ken com o ator Brad Pitt no evento da Breitling que decorreu em setembro na Califórnia, nos EUA.

Kern que está na casa Breitling desde 2017 veio da concorrência, da também relojoeira de luxo IWC, tomou conta da empresa e naquele dia, em Zurique, do palco do auditório.

Para além da apresentação dos novos relógios da Breitling , o CEO apresentou uma parceria com a empresa italiana Aquafil que criou um produto, o “econyl”, que provem da transformação de resíduos encontrados nos oceanos, sobretudo redes de pesca,. Esse produto, que, segundo Giulio Bonazzi, CEO da Aquafil “pode ser reciclado vezes sem conta” é agora transformado para criar braceletes dos relógios da Brietling. Sem perder tempo, no palco da conferência, Georges Kern sublinhou: “isto é apenas o início, fazemos tudo o possível para agir sustentavelmente o quanto possível. E queremos ser a primeira marca [de relógios de luxo] a usar 100% de material reciclado.”

As braceletes criadas pela Breitling feitas em econyl, material reciclado que provem das redes de pescas retiradas dos mares.

O responsável falou ainda de outra parceria que existe com a Outerknown, a equipa do surfista multi campeão Kelly Slater (que é uma das figuras da Breitling) com o intuito de apoiar a sustentabilidade dos oceanos. Sem plástico. Aliás, já este ano a marca helvética foi o relógio oficial das provas do campeonato mundial de surf (World Surf League). Em Zurique apresentou-se segundo relógio desenhado em parceria com Kelly Slater. O modelo chama-se Super Ocean + Outerknown.

Ligação ao ar

Do mar para o ar. A ligação à aviação da marca suíça conta já com alguns anos. Na década de 1950 colaborou com a TWA e Pan Am (reeditado numa coleção cápsula recentemente com relativo sucesso). E ainda hoje existe uma ligação próxima com outras companhias, como a Austrian Airlines, Swiss, Cathay ou a Etihad. Mas também forças aéreas de vários países europeus – entre os quais a Suíça, França e Espanha. E mais recentemente a marca passou a patrocinar o campeonato mundial de drones, “o futuro da aviação”, como referiu o CEO da Breitling.

Quanto aos novos produtos, uma das razões para o qual a imprensa europeia veio a Zurique, a marca helvética lançou o novo Aviator 8 com “design e cores inspirados no avião Mosquito”.

O íconico avião Mosquito que inspira a coleção da Breitling.
O Modelo Aviator 8 Mosquito.

E relançou a coleção Avenger. “Não mudou muito, mas ao mesmo tempo mudamos quase tudo”. A coleção conta com 14 referências. “Para o relançamento desta nova linha, juntamos uma equipa de três pioneiros de aviação”, explicou apresentando de seguida o multi campeão de condução de drones, o britânico Luke Bannister e a piloto da força aérea espanhola Rocio Gonzalez – umas das primeiras mulheres em aviões a jato e uma das com mais experiência. O terceiro membro : Scott Kelly, astronauta, que esteve 1 ano no espaço e que usou um relógio da marca no pulso mostrou-se num vídeo gravado anteriormente.

O piloto de drones Luke Bannister, a piloto da força aérea espanhola Rocio Gonzalez e o astronauta Scott Kelly dão cara à nova campanha da marca suíça.
O novo Super Avenger apresentado em Zurique.

“Queremos ser a alternativa cool e relax às marcas muito conservadoras”

Após a apresentação, numa mesa redonda com alguns jornalistas Georges Kern explicou melhor a aposta na sustentabilidade. “Não vamos salvar o mundo com isso, mas mas podemos falar com os nossos clientes sobre estas questões. Estamos a trabalhar seriamente para ser uma empresa zero emissões apesar de estar convencido que as marcas vão ser obrigadas, através de legislação, a mudar a forma como usam a sua pegada de carbono e a forma como usam os seus recursos.

Sobre o seu recente cunho na marca suíça, a estratégia de Kern é a de tornar cada vez mais a Breitling numa marca de luxo inclusivo, disse. “Já não se vendem relógios para mostrar as horas, mas contam-se histórias com os relógios. Queremos ser a alternativa cool e relax às marcas muito conservadoras que existem nesta área. Tudo o que estamos a fazer vai nessa direção do retro modern design”.

*o jornalista viajou a convite da Breitling.