O luxo do nosso tempo

O lado bom da vida é intrinsecamente procurado por todos nós. Seja à mesa, no carro, numa viagem ou naquela obra de arte que temos, ou queremos ter, na sala de estar. O ser humano é um epicurista nato e vive, mesmo que sem se dar conta, em busca do prazer. Entre as tais «coisas boas» da vida que procuramos há uma que tem ganho cada vez mais importância, sobretudo pela sua escassez: o tempo.

Tempo para não fazer nada, tempo para ler, para viajar, para escrever, para estar com amigos ou para pensar em negócios. O tempo é um dos grandes luxos da atualidade, senão o maior.

Entre as tais «coisas boas» da vida que procuramos há uma que tem ganho cada vez mais importância, sobretudo pela sua escassez: o tempo.

Vivemos numa sociedade que tem pressa. Pressa nas relações humanas, nas soluções para os problemas. A própria economia parece só funcionar à velocidade da luz numa ânsia imensurável para produzir, crescer e ter ciclos curtos e rápidos, claro está. Como vivemos nos dias de hoje, disciplinas como a Filosofia não tinham tempo sequer de existir.

Não é uma crítica aos tempos modernos, nada disso. Nem um reavivar de ideias dignas de «Velhos do Restelo», é sim uma reflexão que tem de ser feita –­ se tivermos tempo para isso.

Felizmente, a contrapor esta tendência da pressa e do sufoco, há cada vez mais vozes a clamar para que se abrande. Pelo menos um pouco. Não no sentido da preguiça, mas para se ganhar tempo a pensar e a fazer as coisas bem feitas.

A DN Ócio que tem nas mãos quer‑­se como sinónimo desse rigor, da criatividade e qualidade.

Essa «corrente» reforça a importância que temos de dar ao artesanal e ao que é único, original, criativo e de qualidade. É esse o luxo dos nossos tempos.

E também são esses os parâmetros que vão guiar esta nova marca editorial criada pelo Diário de Notícias. A DN Ócio que tem nas mãos quer‑­se como sinónimo desse rigor, da criatividade e qualidade. Seja nas suas páginas em papel ou no seu site (atualizado ao momento). A aposta no digital e nas redes sociais é grande e assumida. Isto sem esquecer o vídeo e as conversas em podcast. Mas não só. Somos uma marca 360o e isso será materializado com debates e conferências ‑­ acreditamos que encontros sociais são fulcrais. Esta é uma publicação que requer o tal tempo que já mencionei. Em troca, iremos contar histórias únicas e originais com um novo olhar para as coisas boas da vida.