Comme Il Faut!

Já ouvimos com alguma frequência que os franceses, mais concretamente os parisienses, estão «apaixonados» por tudo o que diz respeito a Portugal. Talvez o futebol seja a única exceção, pelas razões que, felizmente, sabemos.

Mas uma coisa é ler ou ouvir dizer, outra é presenciar. Numa viagem recente à capital francesa deu para perceber que o romance mantém-se. E está intenso. Sentado num moderno café português em pleno bairro de Montmartre vi um parisiense – que depois descobri viver no mesmo bairro – sentar-se e pedir um café expresso e uma água com gás portuguesa. Tão familiar quanto estranho.

É uma enorme oportunidade para as marcas portuguesas, artesanais, de luxo, pegarem na geração de lusodescendentes que viajam entre Paris e Lisboa (e Porto) com imensa frequência e que têm orgulho das suas raízes, para fazer a ponte para posicionar Portugal como deve ser!

Mas nem só de bicas e pastéis de nata vive essa paixão. Noutras lojas, na vanguarda do
hype da capital francesa, há vários produtos made in Portugal que são altamente apreciados pelos locais. Da porcelana ao têxtil, do azeite até ao vinho. Sim, leu bem. No país do vinho aprecia-se vinho… português. Desde que seja biológico e de castas portuguesas. Porque os parisienses querem experimentar coisas diferentes, de qualidade, artesanais e únicas. O preço pouco importa.

É uma enorme oportunidade para as marcas portuguesas, artesanais, de luxo, pegarem na geração de lusodescendentes que viajam entre Paris e Lisboa (e Porto) com imensa frequência e que têm orgulho das suas raízes, para fazer a ponte para posicionar Portugal como deve ser! Há meses escrevia aqui sobre a falta de exportação do «modo de viver» português. Começar pela capital francesa, a capital europeia do bom gosto e da qualidade, é uma oportunidade única.

E por lá ainda, numa conversa com o responsável do Turismo Português em França,
falou-se de todo este reconhecimento admitindo que na cozinha falta um chef português de renome para dar cartas por Paris (tal como o chef Nuno Mendes faz por Londres).

No mês em que as estrelas Michelin são anunciadas em solo português, fica a dica para os chefs levarem a sério, sem timidez, esta história de amor entre França e Portugal.