Tesla Model S: este carro é um santuário!

Rui Pelejão, editor do site Motor 24, conta como foi a Fátima recarregar as baterias do mais rápido automóvel elétrico do mundo. Um Tesla com superpoderes que acelera até aos 100 km/h em apenas 2,7 segundos.

Se a Tesla é uma nova religião automóvel com uma seita de fiéis seguidores da palavra do «messias» Elon Musk, o pai fundador da marca, então ir de Lisboa a Fátima é um bom roteiro religioso para ler os evangelhos do sumo sacerdote dos Tesla — o Tesla S P100D, o mais potente e exclusivo modelo da marca americana.

Com dois motores elétricos, um em cada eixo, este King Kong da mobilidade elétrica aumenta a capacidade da bateria para 100Kw, o que lhe permite alargar autonomia e atingir uma potência de 612 cavalos, suficiente para bater todos os superdesportivos do planeta em matéria de aceleração — apenas 2,7 segundos dos 0 aos 100 km/h, o tempo necessário para dizer «Nossa Senhora!»

É inevitável que esse seja o primeiro desafio. A preparação balística é feita através do painel de comando digital de comando da «nave espacial». Selecionando o modo Ludicrous e premindo o botão durante cinco segundos, o ecrã mostra uma imagem de viagem intergalática estilo Buck Rogers. A bateria precisa de um tempo de aquecimento até ter a carga pronta para o arranque. Em seguida, basta carregar no acelerador a fundo e sentirmos o corpo a ser empurrado contra o assento.

Este exercício é feito em segurança, já que cravando bem as mãos no volante é possível manter a frente do carro numa trajetória em linha reta. Obviamente que este botão de superpoderes é para usar com moderação, caso contrário, se andarmos a brincar às drag races, a bateria do Tesla não vai durar até Vila Franca de Xira, quanto mais até Fátima.

É que outra das vantagens desta versão é precisamente a autonomia alargada que com uma condução cuidadosa e adaptada a um carro elétrico pode chegar aos 550 quilómetros (há quem consiga fazer 600).

Em autoestrada, em rolamento mais moderado é possível apreciar muitas das outras qualidades que fazem deste Tesla um dos modelos mais icónicos de uma nova era, em que tecnologia digital e mobilidade elétrica se fundem. O painel de comando é um ecrã digital enorme, a partir do qual é possível controlar quase todas as funções do veículo, integrando uma série de funcionalidades digitais e possibilidade de download de atualizações e upgrades aos sistemas do Tesla. Esta é a quinta-essência da proposta de valor da Tesla que marca uma rutura com aquilo que os construtores tradicionais estão habituados a fazer.

O que importa reter é que o topo de gama da Tesla é uma alternativa credível a outras berlinas de luxo da sua classe. Pode não ter o mesmo apuro de condução, nem um chassis que permita grandes virtuosismos ao volante, mas o nível de conforto a bordo é superlativo – a suspensão é digna de um tapete voador, a insonorização está ao nível de um estúdio de som e a capacidade de resposta do sistema elétrico de propulsão é potente e versátil para todo o tipo de condução. Chegados a Fátima, com a carga sensivelmente a meio, paragem num dos superchargers da Tesla.

Enquanto o Tesla recarrega as baterias, vamos ao café do lado experimentar uma tarte, justamente batizada «Elon Musk» pelos seus fiéis que ali vão debater a sua religião.