Range Rover Velar: um SUV de luxo entre a cidade e o campo

Elegante, altamente tecnológico, competente em estrada e fora dela, o Range Rover Velar é um SUV de luxo para a vida no campo, de quem passa a maior parte da vida na cidade. Rui Pelejão, editor do site Motor24, foi experimentá‑lo.

Texto de Rui Pelejão/Motor24 | Fotografias de Fernando Marques

A crise da meia‑idade chega quando se passa demasiado tempo a pesquisar carros de sonho no stand virtual. Há sonhos ambulantes para todos os gostos, desde Porsches a desportivos japoneses dos anos 1990 ao estilo Dragon Ball, e até mais requintados, como Range Rovers. Eu já sucumbi a essa crise de meia‑idade e tive um Range. Não o original «quadradinho» Série 1 de três portas (produzido entre 1970 e 1996), mas um mais contemporâneo P38A com motor 2.5 turbodiesel da BMW, provavelmente o pior Range Rover da história.

Nunca gastei tanto em mecânicos. Quando não estava avariado era o mais confortável e espaçoso carro que se podia ter para correr Portugal de lés a lés. Acabei por me desfazer dele mas as saudades ficaram. Por isso, entrar no mais novo Range Rover Velar é uma espécie de regresso ao futuro.

Em primeiro lugar, é absolutamente impressionante o que os automóveis evoluíram em quinze anos: refinamento tecnológico, segurança, sensações de condução e nível e diversidade de equipamento de outra galáxia.

O Velar é um dos mais atraentes SUV de luxo do mercado e também dos mais competentes quando se trata de meter rodas fora do asfalto. O design prolonga‑se
do exterior para um habitáculo dominado pelos dois tablets centrais onde se controlam todas as funções dos sistemas de conforto, entretenimento e de regulação dinâmica do carro, como o Terrain Response, que adapta a resposta da tração integral e da suspensão ao terreno onde nos movemos.

Areia, lama, neve: todos os terrenos são permitidos ao Velar, mesmo sabendo que 95 por cento da utilização é feita em cidade para levar os miúdos à escola, os cães ao veterinário ou os tacos ao golfe – o espaço e a arrumação da bagageira são referências na sua estrita classe.

O nome Velar, recuperado dos protótipos pré‑séries do original Range Rover da década de 1970, parece inspirar o comportamento em estrada, onde este SUV desliza, com suavidade e souplesse (mesmo sem a opcional suspensão pneumática) em velocidades até aos 140 km/h.

A partir daí, a excelente insonorização é beliscada pelo crepitar de esforço do motor diesel, um quatro cilindros de 180 cv, que serve, mas não honra as qualidades e o pedigree do Velar.

Conjugado com uma caixa automática eficaz, permite consumos abaixo dos oito litros aos 100 km, mas em montanha falta‑lhe «garra» para poder mover o Velar com mais ímpeto. Para isso, há outras e mais onerosas opções de motorização.

Mas, mesmo com um motor para «brincar aos pobrezinhos», o Velar é um puro-sangue da aristocrática marca inglesa. Charme, conforto e versatilidade para a vida na city e ao weekend ir para o countryside sujar as botas de lama como um genuíno country gentleman.

RANGE ROVER VELAR D180:

MOTOR: 4 cilindros em linha, Diesel.
POTÊNCIA: 180 CV/4000 RPM.
VELOCIDADE MÁXIMA: 193 KM/H.
CONSUMO MÉDIO: 5,4 L/100 KM.
PREÇO: 83.245 EUROS.