Bentley faz previsões sobre o futuro dos automóveis de luxo

A Bentley pediu a estudantes que desenhassem carros de luxo do futuro. Elegância, tecnologia e carros sem condutor. Estas foram algumas das previsões dos alunos do Royal College of Art no que toca ao que será o luxo automóvel em 2050.

Texto de Patrícia Tadeia

Os alunos do Royal College of Art – universidade líder mundial de arte e design – foram desafiados a imaginar como, num mundo cada vez mais virtual e digital, a tecnologia misturada com o trabalho de artesãos poderia criar algo verdadeiramente luxuoso.

«A Bentley sempre esteve na vanguarda do luxo automóvel e, com essa colaboração, pedimos aos alunos da geração Y que traçassem uma visão do futuro. Queríamos ideias e conceitos que nos pudessem direcionar para novos e interessantes caminhos, usando a perspetiva dos nativos digitais, para ver as coisas de maneira diferente. Serão estes alunos do segundo ano que irão projetar os carros do futuro. É por isso que os resultados do desafio são tão empolgantes», referiu o diretor de design da Bentley, Stefan Sielaff, também ele ex-aluno do programa Automotive Design do Royal College of Art.

Mas afinal, como será o luxo do setor automóvel britânico em 2050? Para estes alunos passará por «paisagens sonoras, um transporte estratosférico de luxo, carros elegantes e sofisticados, mas sem motoristas», revela a marca em nota de imprensa.

Baseados num mundo autónomo e cada vez mais sustentável, estes alunos previram «paisagens sonoras de luxo». Para Irene Chiu, o som terá um forte papel na mobilidade de luxo no futuro. Os veículos poderão filtrar seletivamente os ruídos indesejáveis ​​e stressantes, ao mesmo tempo que permitirão que os sons agradáveis permaneçam. Até porque, defende Irene, tal «pode influenciar a saúde, o bem-estar e as experiências de viagem dos passageiros».

Por sua vez, Jack Watson imaginou um cenário com tecnologia de transporte vertical (EVTOL). O «Bentley Rebel Classic» de Bin Sun cria um futuro em que os veículos privados são o melhor dos carros de luxo, com um design que tem em consideração a personalidade e as necessidades do consumidor para ajudar a formar fortes conexões emocionais com os veículos personalizados.

Kate NamGoong identifica o inesperado e o emocional como qualidades que continuarão a ser apreciadas em 2050. O seu design centra-se no trabalho manual e utiliza a sua formação anterior em joalharia e metalurgia para realçar este tipo de materiais.

Quantos aos carros sem motorista, Enuji Choi pensa mais à frente. Fala de cidades inteligentes. O projeto baseia-se no passado. De carruagens puxadas por cavalos, progredimos para carros modernos, e os mesmos continuaram a evoluir cada vez mais. Já o design da Kansara Shyamal capturou a forma purista do passado, presente e futuro da Bentley.