Alfa Romeo Stelvio: um lobo em pele de cordeiro

O facto de ter chegado agora ao mundo dos SUV não foi motivo para a Alfa Romeo escolher o caminho mais fácil. Na estreia, teria sido mais simples, porventura, usar a mesma fórmula da concorrência para o segmento: um automóvel alto, com proporções generosas, confortável mas com um comportamento típico, salvo algumas exceções. O Stelvio é uma dessas exceções.

Texto de Fernando Marques

Ao usar a plataforma Giorgio, a mesma também usada no modelo Giulia, a Alfa Romeo conseguiu criar um modelo que se distingue entre os seus pares, ao criar um SUV que se comporta como um desportivo.

O comportamento dinâmico é exemplar, a direção é incisiva e muito direta e a performance varia conforme a motorização escolhida. Neste caso, é precisamente a motorização ensaiada o alvo da maior crítica da nossa parte. Mas já lá vamos.

Como é que a marca conseguiu um desempenho tão notável? Com a utilização de muito alumínio para manter o peso baixo – pesa menos 140kg que um BMW X3, e a distribuição de peso 50/50 entre eixos. A Alfa Romeo não se poupou a esforços para criar um SUV com pergaminhos dignos do ADN histórico da marca.

O 2.2 turbodiesel com 210 cavalos que equipa o modelo ensaiado é um motor ruidoso. O esforço que a marca fez em termos de insonorização, infelizmente, não é suficiente para o eliminar – ouve-se bem dentro do habitáculo, num registo que não está ao nível das motorizações diesel oferecidas pela concorrência.

Contudo, quase esquecemos este pormenor quando o conduzimos. Sobretudo no modo dynamic, que quando escolhido no seletor DNA intervém na suspensão, tração integral e na caixa automática ZF de 8 velocidades. Tudo isto, com a finalidade de proporcionar uma experiência de condução que seria quase perfeita se não escorregássemos nos bancos de pele nas curvas mais rápidas.

A vida a bordo do Stelvio é fácil e confortável, a qualidade dos materiais revela uma escolha cuidada, e os comandos estão nos lugares esperados. Há um sistema de multimédia controlado por um já tradicional comando rotativo, e pormenores como o botão de arranque no volante e as majestosas patilhas, fixas na coluna de direção, dignas de um superdesportivo. É com as patilhas que a condução do Stelvio se torna mais gratificante, as passagens de caixa são precisas e rápidas, e com o seu tamanho sobredimensionado, estão sempre ao alcance até das mãos mais pequenas.

O Alfa Romeo Stelvio é um automóvel que pelas suas dimensões apela ao cliente familiar, mas não se deixe enganar pois estamos perante um verdadeiro lobo com pele de cordeiro. Vai ver que facilmente se vai esquecer que está acompanhado da família, pensando que está aos comandos de um superdesportivo em pista.

Ficha técnica:
Alfa Romeo Stelvio 2.2 Turbodiesel Super AT8 AWD Q4
Preço da unidade testada: 66.900,71 euros
Motor: 4 cilindros em linha Turbodiesel com 2143cc
Potência: 210cv
Transmissão: Q4 integral acopolada a uma caixa automática de 8 velocidades
Aceleração: 0-100 (s) 6,6
Velocidade máxima: 215 km/h


Veja também:

Lexus LS 500h: o topo de gama de 150 mil euros