Seen: o novo restaurante no topo da Avenida da Liberdade

No nono piso do hotel Tivoli, na lisboeta Avenida da Liberdade há, desde meados de novembro, um novo restaurante: o Seen.

Texto de Filipe Gil

Pensado pelo empresário da restauração, Olivier da Costa, é um espaço cosmopolita e que importa o conceito do mesmo autor do hotel Tivoli Mofarrej em São Paulo. Pela mesma razão, também a cozinha é de autoria de Olivier e baseia-se num mix de gastronomia portuguesa e brasileira.

Ao sair do elevador do Hotel Tivoli passamos as cortinas escuras que fazem a divisão entre o hall dos elevadores e o restaurante. Logo na entrada somos apresentados ao balcão de cocktail que domina a primeira parte do restaurante a afirmar que os cocktail são uma das bandeiras do Seen. Testamos e ficamos convencidos. Um fumado e quente Royke, à base de whisky e porto, e um Sin & Be Seen com sabor mais seco.

Visitamos o restaurante num sábado à noite e estava cheio. O espaço foi projetado pelo mesmo arquiteto do restaurante do hotel de São Paulo, Sidney Quintela que foi beber inspiração à Art Déco.

Já na mesa, para entradas a refeição começou com o Taco Seen, com caranguejo real, guacamole, manga e maionese, foi dos primeiros a ser-nos aconselhado. As ostras, de qualidade, acompanhadas com sala fresca e limão, costumam ser do Algarve mas que nesse dia vinham de Aveiro.

As entradas foram ainda rematadas com uma salada de lagosta trufada que foi uma das agradáveis surpresas. Com maçã caramelizada, abacate e espargos, a lagosta é tomada de assalto pelas trufas resultando numa excelente combinação de sabores, especialmente para apreciadores de trufas.

Para pratos principais a carne laminada Wagyu – que segundo os responsáveis do Hotel Tivoli vem do Uruguai e apenas o empresário Olivier da Costa a pode importar para Portugal. Para para o prato de peixe as vieras com creme de couve-flor e maçã verde, favas e nuvem de cherovias. Outra boa surpresa. Ambos acompanhados, a pedido, por legumes salteados e um banal puré de batata.

A finalizar, duas sobremesa: o souflé de doce de leite, que cumpre para quem aprecia. E mais uma surpresa para o palato: o bolo cremoso de banana e amendoim, passoquinha e…petazetas, a que ajudam à explosão do sabor. Literalmente.

Pelo ambiente cosmopolita no Seen, nota-se que é um dos restaurantes da moda de Lisboa. Muita gente. Boa comida. Uma extensa carta de vinhos. Serviço irrepreensível. Uma pena que o conceito do Seen coloque um DJ a debitar decibéis demasiado altos para se conseguir manter uma conversa à mesa. Perfeitamente evitável.

Em suma, um restaurante para ver e ser visto onde a qualidade da comida é muito boa e a criatividade de alguns pratos provoca surpresas. Será interessante ver como vai evoluir o espaço com o tempo mais quente, uma vez que tem ao seu dispor um dos maiores terraços do topo da Avenida da Liberdade.