Restaurante Faz Figura aposta em workshops e roteiros pelo país

O Faz Figura quer inovar e ser mais do que um restaurante. E criou uma rede de parceiros e vai organizar workshops e roteiros pelo país. Além disso, disponibiliza, no restaurante, uma biblioteca digital de vinhos, com direito a prova.

Texto de Patrícia Tadeia

Abriu há um ano com um novo conceito. Pela mão do ex-jornalista Pedro Dias. O Faz Figura tem pretensões: «Queremos que seja um local onde se pode vir beber um pouco da cultura gastronómica e sair-se daqui mais rico, além da refeição propriamente dita», começa por dizer.

Pedro Dias percorreu mais de 20 mil quilómetros pelo país para encontrar produtos típicos. Tão típicos como a Farinheira ensacada de Monchique ou os Cuscos de Trás-os-Montes. «É um trabalho que nunca acaba. Em breve vamos voltar à estrada. É uma paixão. É o que queremos fazer. E todos estes produtos têm uma história para contar.»

Com isso, o Faz Figura quer ser um espaço de valorização do produto nacional. «Criámos uma rede de parceiros pelo país que nos permite ir buscar produtos tradicionais, que muitas vezes estão confinados à sua zona de origem. São mais de 70 parceiros. Trazemos para cá os produtos, trabalhamo-los. Não só os incluímos na nossa oferta, como os disponibilizamos aos clientes, explicando a sua origem. Queremos olhar para a gastronomia enquanto forma de cultura», explica Pedro.

«A pesquisa para a construção da rede de parceiros teve muito de jornalístico. Acabou por ser a junção desses meus dois mundos de forma natural.»

E essas são as histórias que este ex-jornalista da SIC e TSF quer promover no renovado Faz Figura. Este sábado, dia 26 de janeiro, o restaurante antecipa o Dia Internacional do Vinho do Porto celebrando a data com um workshop e um jantar de degustação harmonizado com Vinho do Porto.

Do jantar de degustação constam, como aperitivo, Porto Noval Extra Dry White, como entrada: Folhado de Queijo da Serra com Mel e Alecrim que acompanha com Burmester Ruby; o prato de peixe é Filete de Cavala em Escabeche e Conserva de Cenoura Algarvia servido com Pacheca 10 Anos. Para Tira Gosto o restaurante sugere Vasques de Carvalho 30 Anos. O prato de carne é Coelho Recheado com Chouriço Mouro e Pêra Rocha com Fonseca Organic. E por fim, como sobremesa, há Crumble-Mousse de Chocolate com Pimenta Rosa e Flor de Sal servida com Blackett 20 Anos.

Mas este é apenas a primeira de muitas iniciativas. «Teremos com regularidade eventos, em que o pano de fundo é sempre a valorização do produto nacional. Há muitos pensados, mas ainda sem datas. Vamos fazer, por exemplo, um workshop sobre presunto, como se escolhe, como se corta», adianta Pedro.

E no próximo mês, é tempo de oficializar as novidades. No dia 16 de fevereiro, o restaurante assinala um ano do novo projeto e com ele surgem as novidades. «Será o lançamento oficial da rede nacional de parceiros. Temos o apoio do Turismo de Portugal e o nosso passo seguinte será o turismo gastronómico. Estas mesas terão um ecrã interativo com conteúdos digitais, em que o cliente pode consultar informação sobre nossa oferta, mas também sobre os produtos e produtores. Queremos fazer do Faz Figura um pouco uma porta de entrada para a rede de parceiros», explica.

No dia 16 de fevereiro, o restaurante assinala um ano do novo projeto e com ele surgem as novidades.

E é nesta sala, transformada numa biblioteca digital que os clientes poderão também provar mais de 40 vinhos. «O nosso foco é muito a harmonização. Temos dispensadores automáticos e cada vinho tem três níveis de serviço: copo, meio copo e o botão de prova que é gratuito. E teremos também um software com informação sobre cada vinho. Este é um mecanismo que permite a descoberta. Seja para um cliente estrangeiro, seja para o português. É uma janela para o que é a oferta nacional», descreve Pedro Dias.

Para cada produto, uma história por contar. Tal como se o restaurante se transformasse numa reportagem, não fosse Pedro ex-jornalista. «A pesquisa para a construção da rede de parceiros teve muito de jornalístico. Acabou por ser a junção desses meus dois mundos de forma natural. De alguma forma, este projeto tem esse lado de reportagem. De ir à procura de uma história por trás do produto. E de poder contar essa mesma história», defende. Para isso está a planear roteiro onde os clientes vão poder explorar o país e a Rede Nacional de Parceiros, com o «foco gastronómico».