O que pode unir Picasso e ioga no mesmo espaço?

Uma aula de ioga, lado a lado, com Picasso não é para todos. Mas no Tate Modern, museu nacional de arte moderna, em Londres, é possível.

Elevar a mente e corpo, com um brunch pelo meio, e a companhia dos melhores artistas do mundo – alguns já falecidos – é a oferta do Tate aos sábados até 18 de agosto. A iniciativa chama-se «Rise and Shine Yoga Brunch».

A sala este do museu, com janelas desde o chão até ao teto, com vista sobre o Tamisa e a St Paul’s Cathedral, é o local ideal para aulas de ioga.

Ao sábado, há duas aulas: uma às 8h45 e outra às 10h. Ambas têm como objetivo trabalhar a força e flexibilidade.

Depois das aulas, é servido um brunch no Tate’s Kitchen and Bar. O menu começa com um smoothie de cereja, um shake de proteína de mirtilo ou um shot de limão, laranja, açafrão fresco e gengibre, seguido de framboesas com muesli.

Há ainda quatro pratos à escolha: uma salada de quinoa com tofu e molho de limão; abacate esmagado, ovos escalfados e torradas; uma salada mediterrânea de frutas cítricas e erva-doce; ou panquecas vegans, romã e creme de caju. As aulas de ioga e o brunch custam perto de 30 euros por pessoa.

Se, depois do brunch, ainda quiserem visitar a exposição «EY Exhibition: Picasso 1932 – Love, Fame, Tragedy» (apenas patente até 9 de setembro) o preço sobe para 45 euros.