Comida de cão com estrela Michelin

Menus concebidos e cozinhados por um chef com estrela Michelin, grooming corporal completo, passeios exclusivos são algumas das atividades de que se pode desfrutar no Hotel Belmond Reid’s, na Madeira. Mas só se for cão.

Texto de Carla Macedo | Fotografias de Hélder Santos/Global Imagens

A expressão «vida de cão» nunca mais terá um significado pejorativo. É que os animais de companhia que se alojam no Hotel Belmond Reid’s na Madeira, são bem capazes de ter uma experiência de férias ainda mais rica dos que a dos seus donos. O hotel de cinco estrelas que aloja desde 1891 a realeza europeia, entre outras celebridades, está a celebrar o ano do cão com uma série de serviços dignos de um rei… dos caninos.

Para começar, os cães são recebidos à entrada, com biscoitos. É-lhes dada, de seguida, uma placa metálica para ser colocada na coleira que serve como identificação de hóspede do hotel e que, querendo, pode depois fazer de recordação para o resto da vida. Sabemos que os cães são animais de boa memória – quantos casos há de animais que voltam a casa depois de perdidos durante longo tempo? – e, portanto, é de crer que esta recordação física reavive as boas lembranças de uma estada na Madeira, cheia de luxos. O que vale é que a Madeira é uma ilha, senão, o mais certo era dar com os cães ao caminho de umas férias de sonho, outra vez.

O lobby do hotel Reid’s está repleto de fotografias dos convidados do passado e num dos daguerreótipos com maior destaque, quer pelo tamanho, quer pela posição que ocupa à entrada, lá está ela, a cadela Terrier Irlandesa, sentada numa típica cadeira de verga madeirense. O focinho amoroso não deixa dúvidas: está feliz. E não é a única. Ao lado dela, na fotografia, está uma senhora com uma criança ao colo com a mesma expressão. Perdeu-se a identidade das três personagens mas o vestido da mulher (comprido, cintado, fechado até ao pescoço) não deixa margem para dúvidas quanto à época: o século XX ainda não tinha começado e os cães de companhia já eram bem recebidos neste hotel da Madeira.

Na galeria histórica que são as paredes dos espaços comuns sucedem-se os retratos das famílias reais, dos políticos (o mais famoso, Churchill) e das senhoras elegantes, fotografias dos bailes, dos jantares de gala, dos mergulhos espetaculares que as condessas germânicas davam do pontão para o mar e, claro, registos a preto e branco de famílias completas com os seus cães de companhia aos pés.

Passados 127 anos sobre abertura do hotel, acompanhamos a chegada ao hotel de Mafaldinha, uma cadela de raça Pug, animal de pequeno porte que será modelo e cobaia desta reportagem. A excitação da Mafi é visível assim que põe as patas sobre o mármore branco, como que adivinhando as experiências boas que a esperam. Alojamento destinado: suite Bernard Shaw, a segunda maior do hotel, com o nome do dramaturgo irlandês que ali passou longas temporadas.

Sim, os cães ficam nos quartos com os donos e espera-se de todos boas maneiras. Aliás, logo no momento da reserva as condições são apresentadas aos hóspedes: os cães devem andar sempre com coleira, não devem ficar sozinhos nos momentos de limpeza do quarto e não podem frequentar restaurantes, bar, piscina e spa. Quanto ao ladrar, não há informações, mas de facto não se ouvem os latidos em nenhuma parte do hotel.

Subimos as escadas atrás de Mafi e, quando se abre a porta, a pequena cadela entra confiante pela suite e procura orientar-se em todos os espaços. A grande casa de banho apresenta-se como um ótimo lugar para e refrescar-se do calor exterior, deitando-se sobre os mosaicos frios. Refeita das temperaturas, Mafi escolhe o sofá para mais um momento de descanso e depois diverte-se na grande varanda com vista sobre o jardim e o mar e volta a estirar-se no chão, para se libertar do calor.

Cão com direito a menu degustação

Bife tártaro com legumes e fruta, Tártaro de salmão com banana e ervas, Almôndegas saudáveis, Arroz de frango e legumes, Iscas de fígado de vitela salteadas com cogumelos e cebola… Já com água na boca? Infelizmente tal menu não é para humanos. Doggy dinning delights é o nome do menu criado para os hóspedes de 4 patas. Luís Pestana é o chef executivo do Hotel Reid’s e, portanto, do restaurante William que ostenta, desde 2016, 1 estrela Michelin.

Luís Pestana tem um cão em casa e o seu braço direito o sous-chef Elmano Coelho tem outro. Talvez por isso tenham trabalhado na conceção e execução deste menu com prazer redobrado. Pestana pesquisou dentro dos hotéis dog friendly o que estava a ser oferecido e construiu um menu equilibrado «elevando o patamar. Esta é a nossa oferta base mas satisfazemos as necessidades específicas dos nossos clientes de quatro patas», afirma o chef Luís.

Até porque gostos particulares são aspetos que os chefs estão habituados a tratar. Elmano conta com graça a vez que correu «seca e Meca, na Madeira, porque uma senhora tinha pedido água de coco. E quando a entreguei ela deu ao cãozinho». Há também a história de uma cadela de um lord inglês que só comia maçã cortada às fatias e um canino mignon que andava num carrinho de bebé. «Nada, demais» garantem os chefs.

A normalidade impera. A ideia é encorajar os hóspedes humanos a levarem os animais de companhia de férias, sem preocupações. Luís Pestana reforça que o hotel está «à altura de oferecer alimentos para animais. Não precisam de trazer os alimentos.» Além das refeições do menu – que para uma alimentação equilibrada devem ser dadas apenas uma vez por dia – existem no hotel rações secas. As porções da carta, com 200 gramas de proteína, são pensadas para cães de médio porte, que não é seguramente o escalão de Mafaldinha mas a cadela não se faz rogada e come todo o salmão e ainda prova uma almôndega. Luís Pestana afirma que o peso das refeições também pode ser adaptado: «para o meu [o chef tem cão de grande porte] isto seria um amuse bouche».

No Reid’s os cães não engordam

Não se preocupe com o aumento peso. No Reid’s há uma série de atividades que promovem o bem-estar físico dos cães, a começar pelos passeios no jardim. Caso os donos não possam passear os animais, podem requisitar esse serviço na receção. E, se 1 hora pelos jardins souber a pouco, pode usar outros serviços como passeios com obstáculos, sessões de fitness, um dia na piscina (numa instalação fora do hotel) e até creche para cães. Não falta nada no Reid’s para os fiéis amigos dos hóspedes.

 

Vida de Cão

Os cães podem ficar alojados com os seus donos no Hotel Belmond Reid’s da Madeira pelo valor extra de 35 euros. Aqui fica a lista de alguns serviços prestados em conjunto com a Dogtel School, Resort & Spa: um passeio pelos jardins do Reid’s (1 hora, até 2 cães) 35 euros, diversão nos jardins (1 hora) 60 euros, consulta individual de apoio comportamental 60 euros. Creche para Cães, 45 euros por dia. Piscina para Cães, com supervisão, serviço de transporte, lavagem e secagem do pêlo no final, a partir de 90 euros. Grooming corporal completo 75euros. Lavagem e secagem do pêlo 65 euros. Sessão de Fisioterapia (1 hora) 70 euros. Sessão de Treino Individual de Fitness (1 hora) 70 euros. Consulta Individual de Apoio Comportamental 70 euros. Médico Veterinário de serviço 24 h/dia 70 euros