Dois dos melhores bartenders do mundo estão em Portugal

Os dinamarqueses Kitty Gardner e Jeppe Nothlev são dois dos melhores bartenders do mundo e estão em Lisboa. Durante quatro dias, até esta quarta-feira, são convidados a trocar de lugar com dois colegas portugueses do Red Frog, bar localizado em Lisboa e especializado em cocktails «premium». Trata-se de uma experiência única em que os quatro vão partilhar diferentes ingredientes, sabores, técnicas e culturas que os irão inspirar a olhar de forma diferente para o futuro do whisky.

Texto de Patrícia Tadeia

A iniciativa chama-se LiBARating Swap e é um evento global criado pela marca de whisky Naked Grouse. Um dos melhores bares de Portugal, o Red Frog (número 92 na lista de melhores bares do mundo – World’s 50 Best Bars), participa no intercâmbio internacional, recebendo dois bartenders de um dos melhores bares da Dinamarca, o Ruby (número 58 na mesma lista).

«Estamos a adorar, está um sol lindo e as pessoas são incríveis», começa por dizer Kitty Gardner, que trabalha na área há já dez anos, tendo começado por brincadeira como copeira num bar. «E a comida é ótima» acrescenta logo Jeppe. Rapidamente percebemos que a gastronomia cativa este barman filho de pais cozinheiros e casado com uma chef. «Ontem demos-lhe a provar os pastéis de nata e comeu uns dez», confessa Paulo Gomes, um dos donos do Red Frog e um dos bartenders que, juntamente com Tiago Minez – o outro proprietário – viajam na próxima semana até Copenhaga para completar o intercâmbio.

«Chegámos num dia lindo, aproveitámos para visitar a cidade, experimentámos as comidas e o vinho. Fomos recebidos pela equipa do Red Frog, provámos os cocktails deles, tem sido ótimo», diz ainda Kitty.

Parte do programa deste LiBARating Swap consiste num workshop que decorreu na tarde desta terça-feira, n’ O Flat, em Santos. «Viemos a Portugal partilhar a filosofia do Ruby, como chegámos onde estamos, mas esperamos também aprender. Partilhar a nossa visão sobre cocktails de whisky no futuro», refere Jeppe. O tema central deste ano é ‘O Futuro do Whisky’ e o mesmo é explorado nas seis cidades sobre a forma de workshops, com mais de 150 bartenders de todo o mundo. São discutidas tendências, influências e técnicas, culminando na prova de cocktails inspirados nestas discussões.

Mas afinal, o whisky tem futuro? Jeppe responde. «Sim. Hoje em dia já não está tanto ligado à bebida dos nossos avós. O whisky pode ser algo mais, tentamos que seja algo divertido, e não tão sério.» Kitty completa: «E que chegue a toda a gente. Por exemplo, para quem está a experimentar pela primeira vez, pode prová-lo num bonito cocktail.»

O tema central deste ano é ‘O Futuro do Whisky’ e o mesmo é explorado nas seis cidades sobre a forma de workshops, com mais de 150 bartenders de todo o mundo.

O LiBARating Swap da Naked Grouse regressa pelo segundo ano, levando 12 bartenders a explorar sabores, culturas e cocktails. A edição de 2018 conta com a participação do bar «Dandelyan» de Londres, do «Indulge» de Taipei, do «Imperial» de Tel Aviv, do «Bramble» de Edimburgo, do «Ruby» de Copenhaga e do «Red Frog» de Lisboa.

Depois de receberem Jeppe e Kitty, Paulo Gomes e Emanuel Minez, donos do Red Frog, partem para o Ruby em Copenhaga. «Vamos conhecer o país e a cultura. Conhecer outra realidade diferente da nossa. A nossa apresentação consiste nos 40 anos a beber whisky em Portugal e em olhar para o futuro a partir daí», explica Paulo. Emanuel continua: «O whisky renasceu. Com o surgimento do gin, dos vários rums, o whisky estava esquecido. Hoje em dia há uma forma diferente de pensar na cultura do whisky e o mesmo modernizou-se. Ajustou-se aos consumos que apareceram.»

É a primeira vez que os dois bartenders portugueses viajam até à Dinamarca. Mas por cá, no Red Frog, bar que abriu há 3 anos na Rua do Salitre em Lisboa, já receberam muitos profissionais de renome. «Recebemos de toda a parte do mundo, e dos melhores do mundo. Há um grande intercâmbio de culturas e técnicas», diz ainda Emanuel.

Com 30 cocktails à disposição, o Red Frog venceu logo no ano em que abriu o prémio de melhor bar do país. No ano passado, ficou em 92.º na lista de melhores do mundo da Worlds50bestbars. Com um conceito à porta fechada, oferecem um serviço personalizado e com o objetivo de proporcionar experiências ao cliente. Os cocktails variam entre os 10 e 14 euros.

Esta terça-feira à noite a experiência será diferente. Os bartenders vão presentear os consumidores portugueses com um Guest Bartending, aberto ao público, no Red Frog das 22h30 à 01h30. Será apresentada uma carta especial de cocktails concebida pela mão destes bartenders dinamarqueses, sem precisar de sair de Portugal.