Há um novo hotel boutique na baixa portuense

A travessia pelo deserto do elefante Salomão é conhecida. Presente de casamento de D. João III a Maximiliano III, Arquiduque da Áustria, a história ficou imortalizada no livro A Viagem do Elefante, de José Saramago, de 2008. É esta figura mítica que dá nome ao primeiro dos doze quartos do Torel 1884, nova aposta de alojamento local situado num edifício centenário (1884 é a data de construção) onde antes estava um banco.

Texto de Ana Patrícia Cardoso | Fotografias Torel 1884

E não é – aliás, nada é – por acaso. Partindo à descoberta das aventuras portuguesas, cada um dos três pisos está dedicado a um continente – África, Américas e Ásia. Salomão inicia a viagem no rés-do-chão, dividindo a atenção com o quarto “Malagueta”, dedicado à especiaria trazida do continente africano.

Por escadas chegamos às Américas, com cinco quartos temáticos. Os nomes “Madeiras exóticas”, “Pássaros exóticos”, “Café”, “Cana de açúcar” e “Tabaco” deixam antever a exuberância dos ambientes e o papel de parede de uma das casas de banho, forrado a folhas de bananeira é o grande chamariz. As suites são espaçosas e elegantes para que os hóspedes sintam que chegaram a casa depois de uma viagem.

A ideia não é que este seja mais um hotel. “Por isso, optamos por doze quartos apenas e investimos nas áreas comuns como a biblioteca ou o Honesty Bar (onde cada um serve a própria bebida).”

Era este “o grande objetivo deste regresso ao passado”, explica a austríaca Ingrid Koeck, uma das sócias. Viajante inveterada, Ingrid fez questão de acompanhar todo o processo e acaba por admitir que foi “um percurso intenso pela história riquíssima deste país”.

A ideia não é que este seja mais um hotel. “Por isso, optamos por doze quartos apenas e investimos nas áreas comuns como a biblioteca ou o Honesty Bar (onde cada um serve a própria bebida).” Estes dois últimos estão no último piso do edifício, onde reina a Ásia. “Chá”, “Porcelanas”, “Sedas”, “Tapeçarias” e “Especiarias” encerram a lista de quartos. É praticamente impossível não contabilizar as influências que permanecem ainda tão vivas no quotidiano moderno.

No piso térreo, os amantes de um bom vinho podem deliciar-se com as várias escolhas do Wine Bistro Bartolomeu. “Fechadas a sete chaves” seria apenas uma expressão se as garrafas não estivessem guardadas no antigo cofre que pertencia ao banco. Petiscos para acompanhar enquanto se pensa no próximo destino.

Torel 1884
Rua Mouzinho da Silveira, 228
Quartos duplos a partir de 120 euros (com pequeno-almoço)
Torel1884.com


Veja também:

Artesãos portugueses fazem mobiliário de luxo