Chef com oito estrelas Michelin abre restaurante em Lisboa

Martin Berasategui e o chef português Filipe Carvalho, responsável pelo Fifty Seconds que ganhou a primeira estrela Michelin na edição de 2020.

Martin Berasategui já tem oito estrelas Michelin e garante que não quer ficar por aqui. Chega hoje a Lisboa, perto do céu, no topo da Torre Vasco da Gama

Por Marina Almeida

Coleciona estrelas Michelin e sorrisos. Amante da boa gastronomia e das coisas boas da vida, Martin Berasategui inaugura hoje o Fifty Seconds, exclusivo restaurante na torre Vasco da Gama, no Parque das Nações, em Lisboa. É o chef espanhol com mais estrelas – oito no total – e aposta numa equipa de 22 profissionais, liderada por portugueses.

O nome do espaço lisboeta alude ao tempo que dura a viagem de elevador, 120 metros acima do nível do solo: 50 segundos. Mas a verdadeira jornada é a que se vai seguir, garante o chef, que promete «uma viagem inesquecível».

Martin Berasategui, 58 anos, é natural de San Sebastian, no País Basco espanhol. Aos 25 anos conquistou a primeira estrela Michelin no restaurante com o seu nome, localizado em Lasarte-Oria. Hoje ostenta três estrelas (classificação máxima do guia Michelin) no Martin Berasategui (1994, 1997, 2002), outras três no Lasarte, em Barcelona (2007, 2010, 2017) e duas no M.B., restaurante do Ritz-Carlton, em Tenerife (2010, 2014). Ao longo da sua carreira recebeu vários prémios, como o Grand Prix da Art of Cooking, em 1997, que o posicionou como o melhor chef espanhol nos guias de maior prestígio internacionalmente [o chef José Avillez conquistou este prémio na sua última edição, em 2018].

No vídeo de promoção do restaurante lisboeta, Berasategui diz que o prato mais importante da sua vida é «a vontade de transmitir felicidade». Assumindo-se como «cozinheiro maluco», diz que é «garrote», o que significa «garra, força, energia e amabilidade» e garante que não vai ficar pelas oito estrelas atribuídas pelo Guia Michelin.

O espanhol aposta em portugueses neste projeto. Para chef executivo, Berasategui escolheu Filipe Carvalho, com quem trabalhara no Lasarte, de Barcelona. A carreira de Filipe Carvalho passou também pelo Rio’s, com António Bóia e depois com Paulo Morais, e pelo Altis Belém. Fez uma incursão no Westchester Country Club, em Nova Iorque, com o chef Edward G. Leonard. No regresso a Portugal, esteve na Fortaleza do Guincho, com Vincent Farges. Ainda passou pelo Vila Joya, no Algarve, e depois foi sous chef de João Rodrigues, no Feitoria.

Maria João Gonçalves será a chef pasteleira. Iniciou a sua carreira com Paulo Morais e passou por diversos espaços em Portugal, como o Belcanto (duas estrelas), de José Avillez. Tal como Filipe Carvalho, já passou pelo Vila Joya, pela Fortaleza do Guincho, e integrou a equipa do Lasarte. O chefe de sala é Inácio Loureiro, oconceituado sommelier português, que esteve dez anos na Fortaleza do Guincho. À frente dos vinhos do Fifty Seconds estará Marc Pinto.

A carta da primeira incursão do chef basco em Portugal apresenta pratos de peixe, como o salmonete com escamas crocantes, funcho e açafrão e ravioli de tinta de choco ou o naco de tamboril grelhado, texturas de lingueirão, coco e caril vermelho. Nas carnes, propõe pá de borrego de leite com soro de parmesão, cogumelos silvestres ou lombo de novilho assado na brasa, acelgas e bombom de queijo.

Salada tibia, um dos clássicos de Berasategui (FOTO:DR)

O menu Fifty Seconds é constituído por sete pratos e custa 120 euros. Abre com brandade de bacalhau com maionese de manzanilla e yuzu, segue para o mil-folhas caramelizado de foie gras, maçã verde e enguia, depois o creme de manjericão com presunto Ibérico, cannelloni de rabo de porco e tortellini de beringela. Nos pratos oferece a pescada grelhada, cebola trufada e amêijoas e o lombo de novilho assado na brasa, acelgas e bombom de queijo. Fecha com txakoli com laranja, gelado de casca de limão e granizado de laranja sanguínea e “torrija” caramelizada e gelado amêndoa. Já o menu de degustação, é constituído por dez pratos e custa 160 euros.

Martin Berasategui promete para Lisboa, uma «experiência única a 120 metros de altura». O restaurante, com capacidade para 35 lugares, instalado no topo do hotel Myriad, do grupo Sana, abre de terça a sábado, aos almoços e jantares.

«É um projeto ambicioso que nos coloca no mapa da restauração a nível internacional e conseguimos ter em Portugal, neste espaço, o chef Martin Berasategui, o chef com mais estrelas Michelin de Espanha. É o palco perfeito, uma cozinha panorâmica e experiência única com um dos maiores Chefs do mundo da Alta Cozinha, Martin Berasategui», disse Pedro Miguel Ramos Brand Manager do Grupo SANA.

O projeto de arquitetura de interiores do espaço é assinado pelo atelier portuense de Nuno Rodrigues e as suas equipas Metrobox e Stabörd. O cobre e os azuis fumados são as cores dominantes numa sala em que tudo foi pensado em exclusivo para o projeto, da garrafeira climatizada, ao mobiliário e iluminação, passando pelos acessórios.

Para 2019, o chefe basco planeia abrir dois restaurantes em Madrid, um deles no estádio Santiago Bernabéu, somando assim 17 unidades com a sua gestão em todo o mundo.

Hoje é dia de Fifty Seconds – a 16 dias de Lisboa receber a gala Guia Michelin 2018.

Martin Berasategui: próxima paragem, Lisboa (FOTO:DR)