Vem aí uma coleção de joalharia inspirada no MAAT

Kathia Bucho é uma das sete designers que vai trabalhar na coleção inspirada pelo MAAT (Pedro Pina/Fundação EDP)

Durante 2019, de dois em dois meses, há novidades na joalharia de autor no Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia. Em maio, os sete designers apresentam uma coleção inspirada no museu.

Texto de Marina Almeida

Uma armada de sete jovens designers, desafiados pela Associação de Ourivesaria e Relojoaria de Portugal (AORP), apresenta as suas peças de joalharia ao longo de todo o ano de 2019 na loja do Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT), em Lisboa. Em maio deverá ser desvendada uma coleção exclusiva, com inspiração no património do MAAT.

Fátima Santos, presidente da AORP, enquadra esta incursão da joalharia de autor na loja do museu lisboeta: «Foi lançado um repto pelo MAAT para nós lançarmos algo que promovesse a ourivesaria portuguesa e nós decidimos, à semelhança do que fizemos já no Porto com Serralves, desafiar jovens criadores a apresentarem os seus projetos e depois, com uma curadoria do MAAT, foram selecionados sete que estarão à venda aqui nos próximos 14 meses. Dois meses em exclusivo para cada um, e em maio os sete vão apresentar uma coleção exclusiva com inspiração no património MAAT».

Os sete criadores são Joana Santos, Vangloria, Ana Pina, Kathia Bucho, Mater Jewellery Tales, Romeu Bettencourt e Dalila Gomes. Juntam-se às duas marcas residentes da loja do museu, Maria Avillez e Leonor Silva.

«A novidade é que os desafiamos a trazer a sua matéria-prima, quer de forma literal – com os metais preciosos ou outros, como os fios de pesca, por exemplo, quer conceptual, com o material que os inspira», explica a dinâmica presidente da AORP. Nas bancadas da loja do museu apresentaram-se aos jornalistas os sete criadores juntos, com sua matéria-prima. Joana Santos, com o fio de pesca vermelho – que belo efeito produz. Vanglória – na realidade Vanessa Pires – com a inspiração mística na concha de Nautilus; Ana Pina e os esquadros antigos do seu pai; Kathia Bucho e as suas declinações do cimento; Mater – na realidade Sara Coutinho, com a calçada portuguesa; O açoriano Romeu Bettencourt e as hélices e os desenhos técnicos; Dalila Gomes, com as dobras e formas do papel feitas joias;

De forma rotativa, as sete marcas de autor estarão individualmente, pelo período de dois meses, à venda na loja do MAAT:

Joana Santos Jewellery – dezembro 18/janeiro 19
Vanglória Jewellery Design – fevereiro/março
Ana Pina – abril/maio
Kathia Bucho Jewelry – junho/julho
Mater Jewellery Tales – agosto/setembro
Romeu Bettencourt – outubro/novembro
Dalila Gomes Jewellery – dezembro 19/janeiro 20