Surpreendidos ou conformados: as reações dos chefs que perderam a estrela Michelin

O restaurante Willie´s perdeu a estrela Michelin que detinha há 16 anos.

O chef alemão Willie Wurger, cujo restaurante, “Willie’s”, no Algarve, perdeu a estrela Michelin que detinha desde 2006, disse não esperava esta decisão dos inspetores do guia ibérico.

DN/Lusa

O “Willie’s”, restaurante em Vilamoura, é um dos três restaurantes portugueses que perdem a classificação de uma estrela na edição de 2020 do Guia Michelin Espanha e Portugal, que foi apresentada esta quarta-feira em Sevilha. “Não sei porquê. Não estava à espera”, afirmou à Agência Lusa o ‘chef’ alemão.

Willie Wurger disse não ter notado qualquer alteração no último ano no que diz respeito às visitas dos inspetores do guia. “Não notei nenhuma mudança, foi igual a todos os anos, com uma ou duas visitas”, comentou.

Willie Wurger chegou a Portugal em 1985 e conquistou a primeira estrela Michelin para o Algarve, na altura no restaurante “La Reserve”, distinção que manteve anos mais tarde no “São Gabriel”.

A estrela que detinha no restaurante com o seu nome tinha, para ele, um significado especial: “Esta é a que mais me orgulha porque é o meu próprio restaurante e sou responsável por tudo. Desde 2006 que mantemos a estrela, o que é todos os anos uma grande vitória”, afirma, numa mensagem na página oficial do restaurante.

Chef José Tapadejo. (Foto D.R.)

Outro restaurante que perdeu a estrela foi o “L’AND Vineyards”,. emMontemor-o-Novo, agora com o chefe executivo José Miguel Tapadejo, após a saída de Miguel Laffan. “Estávamos na expectativa. Sabíamos que num ano de mudança de ‘chef’, era possível” a perda da distinção, afirmou a diretora de relações públicas do espaço. “Acreditamos que fizemos um bom trabalho e mantemos o nosso foco”, comentou.

Já o restaurante “Henrique Leis” do chef com o mesmo nome foi o terceiro a perder a distinção. Leis já tinha anunciado que pretendia abdicar da estrela que o espaço tinha há 19 anos, algo inédito em Portugal. A posição oficial da Michelin em situações como esta tem sido a de que a decisão de atribuir ou retirar estrelas cabe aos inspetores e não aos ‘chefs’. A Lusa contactou o ‘chef’ Henrique Leis, que respondeu que se encontra de férias.