Eduarda Abbondanza: «Se pudesse fazer compras numa avenida em todo o mundo, seria talvez numa das avenidas de Milão»

O Ócio de… Eduarda Abbondazza

Por esta altura, não faltam afazeres a Eduarda Abbondanza, fundadora e diretora da ModaLisboa. O evento já está a decorrer, mas a designer e estilista teve tempo para falar com a DN Ócio para nos confessar alguns dos seus segredos. Esta é Eduarda Abbondanza, na primeira pessoa.

O meu sítio da casa preferido foi sempre o mesmo em muitas casas. É a cozinha. Porque tem uma mesa e cadeiras e tem uma porta para uma varanda grande, ou seja, ar livre, e porque se pode beber, comer, conviver. Em todas as casas onde passo, é sempre onde as pessoas estão, independentemente de ter uma sala maravilhosa. Vou muito pouco para a sala.

O meu prato preferido… Bem, adoro gastronomia portuguesa e italiana, tenho muitos pratos preferidos. Gosto de comer bem. É uma das coisas de que mais gosto da na vida. Olhe, se tivesse de dizer um prato, diria cozido à portuguesa.

Se pudesse fazer compras numa avenida em todo o mundo, seria talvez numa das avenidas de Milão.

A Baixa de Milão é dos locais mais emblemáticos.

Se não fosse designer, seria bailarina. Eu pertencia ao corpo de bailado da Escola Nacional no São Carlos. Mas infelizmente, fiquei doente e tive de interromper a carreira.

O objeto do qual nunca me separo é o meu perfume. Mas não digo qual é. Tenho vários… Por exemplo, o «Gypsy Water» da Byredo, «Comme des Garçons» em tributo a Andy Warhol, que o Manuel Reis [fundador da discoteca Lux Frágil] me ofereceu antes de falecer.

«Comme des Garçons» em tributo a Andy Warhol.

Se não morasse em Lisboa, moraria em Milão, em Itália.

Uma música que tenho ouvido bastante… gosto muito do trabalho do Branko e das músicas que fez com o Dino Santiago e Mayra Andrade.