O Esporão faz um elogio à lentidão

A nova campanha do Esporão é protagonizada pelos trabalhadores da companhia e quer mostrar a importância de abrandar nos dias de correm. Mais. Devagar é o nome da campanha, que deu também origem a um manifesto.

Surgem no meio das vinhas com cartazes nas mãos. “Vivemos no tempo da pressa”. “Crescemos depressa. Trabalhamos depressa”. Um dos protagonistas da campanha atira o telemóvel que toca para o meio das vinhas. A nova campanha do Esporão quer promover o debate na sociedade sobre a necessidade de abrandar nos dias de hoje.

“Esta campanha é um desafio a todos nós, questionando a obsessão da sociedade moderna em querer fazer tudo mais depressa. Quando, pelo contrário, abrandar traz-nos mais felicidade. No Esporão seguir o ritmo da natureza na nossa produção é algo que já nos guia. Para nós, devagar é melhor”, explica Catarina Santos, diretora de marketing.

O Esporão criou um manifesto e uma nova assinatura: “Mais. Devagar”, para o mercado português, “Slow Forward”, para os mercados internacionais.

A campanha foi desenvolvida pela agência holandesa KesselsKramer, e protagonizada por colaboradores do Esporão, segundo explica a empresa em comunicado. “Surge no seguimento de um estudo realizado pela Universidade Católica Portuguesa sobre o ‘Slow Lifestyle em Portugal’, que foi apresentado no CCB a par de uma TALK com a voz mundial do Slow, Carl Honoré”, refere.

O Esporão foi fundado em 1973 por José Roquette (que aparece no vídeo com a mensagem “nós somos a terra do devagar”) e Joaquim Bandeira. Na região do Alentejo, o Esporão produz vinhos tão emblemáticos como o Esporão Reserva e o Monte Velho, assim como azeites virgem-extra. Em 2008 alargou a sua presença à região do Douro, com a compra da Quinta dos Murças.

Veja aqui a nova campanha do Esporão:

MANIFESTO:
Vivemos no tempo da pressa. Crescemos depressa. Trabalhamos depressa.
Comemos, bebemos, dormimos depressa.
Esquecemos depressa o que vemos depressa. E quando lemos, lemos depressa.
Amamos depressa. Fartamos depressa. E quando não enviamos emojis, escrevemos dprs.
Depressa não é para a frente. É só… urgente.
Depressa é à pressa.

Nós somos da terra do devagar.
Devagar tem outro sabor. Devagar é melhor.
Devagar tem respeito.
Devagar é um talento, e vai longe.
Sim, vivemos no tempo da pressa. Mas se tudo o que fizermos for para ontem, o que acontece a hoje e ao amanhã?

Há várias maneiras de andar para a frente. Esta é a nossa.
Esporão.
Mais. Devagar.