Malas premium nascem em Portugal e levam assinatura do artesão pelo mundo

É das mãos de um artesão que nasce cada umas das malas NO / AN. É a assinatura desse artesão que consta em cada bolsa. E é em Portugal, mais especificamente na região de Leiria, que são fabricadas. A designer é finlandesa, a marca é belga e a paixão pelo nosso país está lá desde o início.

Texto de Patrícia Tadeia

NO / AN é uma marca de malas concebida pela designer finlandesa Anna Lehmusniemi. Com sede em Bruxelas, a marca sustentável encontrou em Portugal o destino ideal para fabricar o produto final. «As bolsas são feitas numa pequena localidade chamada Benedita. Ficou bem claro para mim que queria fabricar as coleções em Portugal. Estava ciente de que o ateliê teria alta qualidade. Todos, por lá, partilham os meus valores e entendem minha estética. E acima de tudo gosto muito de Portugal e do povo português. A atenção aos detalhes e ao cliente é realmente uma mais valia», começa por dizer Anna Lehmusniemi à DN Ócio.

Na Benedita, o ateliê gerido por duas irmãs conta com cerca de 15 artesãos. A marca nasceu em 2016. Embora o trabalho de design aconteça em Bruxelas ou em Helsínquia, o passo seguinte dá-se em Portugal.

«Cada mala de NO / AN é pacientemente feito à mão pelo mesmo artesão desde o início até ao fim, sem qualquer trabalho em cadeia. Cada artesão assina as malas que faz. As peles que usamos são cuidadosamente selecionadas para garantir a melhor qualidade. Cada mala passa por uma verificação de qualidade no nosso ateliê em Portugal e depois na Bélgica ou na Finlândia antes de a entregarmos ao cliente. Para mim, isso é luxo», continua a fundadora da marca que, além de vender online, conta já com 15 lojas na Europa e EUA.

Mala de couro com linhas elegantes e pele de alta qualidade. É assim que a marca se define. Cada mala pode custar mais de 1.200 euros. E por isso, aposta em materiais também eles portugueses.

«Usamos couro de grão natural e couro de nobuck de alta qualidade oriundo da região de Leiria. Atualmente estou a testar outros couros que vêm de curtumes de Itália e de França. Os fechos são de uma marca suíça chamada RIRI», explica Anna que confessa sempre ter tido «boas experiências no fabrico de bolsas de couro em Portugal».

«Também ouvi dizer que Portugal é muito forte na produção de calçado de couro e malhas de alta qualidade», conclui.