Joias seguem tendência e adaptam-se à cor do ano: o «Living Coral»

Novo ano. Nova cor. 2019 ditou que a cor do ano fosse o «Living Coral», ou Coral Vivo. A Pantone anunciou a cor do ano, e as marcas de joias seguiram a tendência.

Depois de em 2017, a cor escolhida ter sido o «Greenery» para sensibilizar para as questões ambientais – e de em 2018 se ter privilegiado o «Ultra Violet» homenageando a cultura pop, desta feita 2019 é o ano de «reagir ao ataque da tecnologia digital e redes sociais que se infiltram no dia a dia». Quem o disse foi a vice-presidente do Pantone Color Institute, Laurie Pressman.

As marcas de joias seguem a tendência. Um dos exemplos é a MATER Jewellery Tales. A marca foi fundada pela designer Sara Coutinho em julho de 2015 no Porto, e visa promover a individualização, exclusividade e elegância, assente num legado histórico, cultural e humano. As joias são feitas de metais nobres, ouro e prata de lei, combinadas com pedras e pedras naturais, pedras preciosas ou semipreciosas. E em «Living Coral», a marca sugere colares, anéis ou brincos.

Mas não é a única marca de joias a seguir a tendência. Cristina Pérola nasceu no Porto, onde também cresceu e se apaixonou por artes decorativas e acessórios de moda. Depois de 10 anos como empresária, decide investir no design de jóias exclusivas, começando assim um novo capítulo da sua vida, no Dubai. De volta ao Porto, lança uma nova coleção e não esquece a inspiração Living Coral, com colares, brincos e anéis da marca Pérola Jewellery.

«Quando o luxo atende à realidade.» É este o mote lançado pela Carlton Jewellery, marca fundada por Carlos Góis. Nascido numa família de joalheiros portugueses de Coimbra, desde 1991 que o seu universo está ligado ao mundo da joalharia. Na adolescência, acompanhava a família em feiras e certames especializados e desde cedo se fascinou com o mundo das joias. Após 25 anos de experiência em vários setores da joalharia, lançou uma marca própria. Mergulhando na tendência do «Living Coral», a Carlton Jewellery sugere brincos e anéis.

Também é com propostas de brincos e anéis na cor do ano que a Monseo, uma marca de joalharia fundada no Porto em 1972, se apresenta. A empresa familiar, que já vai na terceira geração, inspira-se em diferentes influências artísticas desde a Art Deco, à Arte Moderna e Minimalismo. As coleções da Monseo são conhecidas por terem peças de joalharia com pedras raras.

A cor que também se inspira nos corais prevê um ano vibrante e cheio de vida. E também a marca de joias canadiana, Mia Jewelry, evoca o coral com «undertone» dourado como «complemento perfeito para o dia-a-dia, conferindo um toque energizante a quem o usa». A marca disponibiliza uma série de peças versáteis e ideais para expressar a individualidade de cada mulher.