“O Cristiano Ronaldo já recebeu muitas flores através da Bloom”

Há 15 anos, Margarida Botelho Rodrigues abriu uma florista em Braga. Agora chega à quarta loja, em Vila Nova de Gaia, num negócio que se movimenta no mundo do luxo e da exclusividade. Hotéis de 5 estrelas, navios de cruzeiro e personalidades como Cristiano Ronaldo ou Christian Louboutin são alguns clientes.

Texto de Marina Almeida

Margarida Botelho Rodrigues estudou música e toda a sua formação se desenvolveu no universo das artes. Mas na hora de escolher o curso, seguiu Gestão de Empresas. Ainda trabalhou em marketing, sentada a uma secretária, mas aquilo de que gostava mesmo era de organizar eventos — e criou uma marca, a Bloom. Agora não para quieta. Corre o mundo em viagens, em formações e a responder a pedidos de clientes exclusivos — um deles é Cristiano Ronaldo. Tudo começou há 15 anos em Braga, com uma florista diferente, onde ninguém entrava.

“Queria uma loja de flores completamente diferente de tudo que havia em Portugal”, diz Margarida. “Nasceu uma loja toda branca, com jarras em vez de baldes de plástico com as flores. A primeira reação das pessoas foi quase nem entrar. Nem sabiam se era uma loja de flores, se iam pagar mais. Tive uns anos para construir a marca e mostrar que uma loja de flores podia ter uma apresentação diferente, podíamos fazer bouquets lindíssimos, mostrar texturas e cores e flores diferentes e, em vez de as finalizar com papel celofane, podia ser em papel de seda com a marca Bloom. E não tinha de ser mais caro. Demorou uns anos, mas valeu a pena. Mudámos a forma de trabalhar a partir daí e lançámos uma uma tendência.”

A Bloom apostou em design exclusivo e uma apresentação cuidada (DR)

Senta-se num dos cadeirões da Enoteca 17.56 em Gaia, onde abriu um novo espaço há um par de meses. Foi convidada a levar para ali a Bloom e aceitou o desafio com satisfação. O novo restaurante da moda de Gaia, além de comida e bebida, tem flores com vista para o rio. Ali bem perto atracam os cruzeiros da Douro Azul, que a partir de março vão voltar a navegar e levam os arranjos da Bloom. Dois a três cruzeiros por dia saem dali, com centenas de arranjos de flores pensadas para o restaurante, o bar, os quartos. Cada cruzeiro “é um autêntico hotel de 5 estrelas”, diz Margarida. E cinco estrelas é o habitat que se tornou natural da Bloom.

“Queria uma loja de flores completamente diferente de tudo que havia em Portugal. Nasceu uma loja toda branca, com jarras em vez de baldes de plástico com as flores. A primeira reação das pessoas foi quase nem entrar. Nem sabiam se era uma loja de flores, se iam pagar mais.

Eu achei que não era só atrás do balcão que podia trabalhar a marca. Comecei a trabalhar com empresas, especializei-me muito em organização de eventos, mas também com hotéis, na decoração das flores a nível diário. Posso dizer que trabalho com os melhores. Faço a decoração do Six Senses. Quando o Vidago Palace abriu fiz a decoração e estive lá muitos anos a trabalhar. O Tivoli Avenida, quando foi comprado pelo Anantara, há dois anos, convidou-nos para o projeto e estivemos lá seis meses a dar formação. Orgulho-me disso. O Christian Louboutin veio cá fazer a apresentação dos seus perfumes e foram três dias de evento, em Lisboa. Foi tudo preparado por mim.

Margarida diz que ao fim de 15 anos tem também muitos clientes particulares que procuram os serviços da empresa. “O Cristiano Ronaldo já recebeu muitas flores através da Bloom. A decoradora dele é portuguesa e é nossa cliente. O chá da filha dele com a Georgina foi feito por nós. Foi levado para Madrid, fomos nós que fizemos essa decoração.

“Temos muitos projetos chave na mão. Na apresentação do novo Bentley no Porto, a marca pediu-nos um todo. A decoração, as floreiras, as mesas, as cadeiras”. A Bloom tem de pôr as flores a falar a linguagem certa de cada ocasião. Na Bentley, escolheu utilizar flores azuis, mais secas, “para um público masculino, para dar um ar mais masculino ao carro.”

Os clientes podem levar a jarra à loja e pedir que seja feito o arranjo (DR)

A imensidão de flores, cores e texturas permitem-lhe uma imensidão de abordagens. Margarida inspira-se nas viagens que faz, onde procura conhecer os melhores hotéis e restaurantes. Também faz workshops e formações, para levar para a Bloom o que de melhor se faz no mundo (para a semana vai a Florença fazer uma formação com um guru das flores). “Qual é o gozo pessoal que isto me dá? Eu todas as semanas faço projetos diferentes, todos os dias estou a imaginar projetos novos.”

Não trabalha sem conhecer o cliente e sem estar perto da data do evento. Por exemplo, nos casamentos. “Há muitas empresas que no início de janeiro fazem a apresentação para as noivas e convidam as noivas de 2019, para ver as mesas postas. Eu não consigo fazer isso. Cada evento é quase como ir ao Manuel Alves, o estilista, e dizer ‘Manuel faça-me o vestido para este evento’. É isso que eu quero que seja vir à Bloom.”

Mas nem só de grandes eventos se faz a Bloom, com lojas em Braga, Porto (Foz e Boavista) e Gaia. É uma florista onde se pode aconselhar do melhor bouquet para oferecer, ou da flor que vai decorar uma festa especial. Pode inclusive levar a jarra à loja, para que o arranjo seja lá feito. Se quiser uma jarra com flores que durem um ou dois meses, também se arranjam – Margarida dá como exemplo, o limónio ou a flor de cera.

A maior parte dos fornecedores são estrangeiros – Holanda e África do Sul, essencialmente –, mas sempre que possível usa produto nacional. No Six Senses, Douro, resort de luxo sustentável, enfrenta um desafio constante: não pode usar flores de corte. Mais uma forma de dar a volta à cabeça para pensar em centros de mesa ou arranjos de Natal à medida do cliente.

Não há nenhuma flor de que não goste, mas aponta as peónias e as rosas entre as favoritas. Aqui chegada, um desejo? Organizar um lançamento da Channel.


Hotéis de luxo para as férias de 2019