Design português da Wewood volta a preencher os palcos da Web Summit

Este é o segundo ano consecutivo que a Web Summit conta com peças de mobiliário produzidas pela Wewood – Portuguese Joinery. O design português marca presença no evento, este ano, com o sofá Bowie, a cadeira lounge Caravela e a mesa de apoio Bica.

Texto de Patrícia Tadeia

A organização da Web Summit volta a contar com a Wewood para fornecer o mobiliário que vai estar disposto nos 9 palcos do evento. Fundada em 2010 e impulsionada pela paixão pelo design português, a Wewood desenha e produz mobiliário focado no caráter da madeira.

Cada peça é única e feita com técnicas inovadoras. As peças escolhidas são o sofá Bowie (4870€ + IVA), a cadeira lounge Caravela (840€ + IVA) e a mesa de apoio Bica (1100€+ IVA), que, pouco a pouco, já se vão tornando uma das imagens de marca da cimeira internacional que ficará em Lisboa durante os próximos 10 anos.

«Reagimos [convite] de forma positiva, porque percebemos as vantagens sobretudo em termos de exposição da marca, tendo em conta o poder mediático que a Web Summit tem neste momento e as centenas de personalidades que por lá passam e se sentam nas nossas cadeiras e sofás», explica Hugo Ferro, responsável pela comunicação da Wewood. «Como o feedback foi bastante positivo e a parceria vantajosa para ambas as partes, voltámos a aceder ao convite quando nos voltaram a convidar para fornecermos mobiliário para a edição deste ano», diz ainda.

As peças escolhidas são o sofá Bowie, a cadeira lounge Caravela e a mesa de apoio Bica.

Falando especificamente de cada uma das peças que estarão expostas na Web Summit, como parte integrante do palco, a Caravela Lounge Chair, do designer Gonçalo Campos, faz parte de uma família de peças que inclui uma cadeira, uma cadeira lounge e uma cadeira alta. «O design é inspirado na forma das velas das caravelas portuguesas», explica o designer que é também o criador do sofá Bowie.

«A inspiração partiu da imagem dos sofás tradicionais que é sempre bastante ‘boxy’ e difícil de recriar», refere. Para reinventar o sofá, Gonçalo resolveu brincar com a estrutura e incluir vigas laterais de madeira, uma vez que a madeira é uma das imagens de marca da Wewood. «A inclusão dessas vigas, um pouco elevadas em relação à base, dão uma imagem pouco comum às laterais do sofá. Por ser um sofá modular que pode ir de um sofá de um lugar até um sofá de três lugares com diferentes tipos de estofos, mais sóbrios ou mais vistosos, decidimos chamar-lhe Bowie, tal como o artista camaleónico David Bowie», acrescenta.

Para finalizar, a Bica Coffee Table, do designer alemão Sascha Sartory, foi inspirada pela expressão lisboeta «bica» e pelo ato bem português de beber café com amigos ou colegas e fazer disso um momento de partilha e de convívio. A mesa de café inclui ainda uma bandeja que pode ser utilizada para servir bebidas ou comida.

Mas voltemos atrás no tempo até à origem desta marca, fundada pelos irmãos Salvador Gonzaga e Carlos Silva. A marca foi registada em 2010 e a apresentação ao público foi feita em janeiro de 2012, em Paris, na feira Maison & Objet. Mas nasceu muito antes. «A Wewood nasce a partir do centro de pesquisa da empresa Móveis Carlos Alfredo, uma empresa especializada no fabrico e exportação de mobiliário em madeira maciça desde 1964. Começou a ser idealizada por Salvador Gonzaga, filho do fundador da Móveis Carlos Alfredo, em 2008, em contraciclo com a crise económica e financeira, quando as vendas da Móveis Carlos Alfredo começaram a cair», explica Hugo Ferro.

«A Wewood nasce a partir do centro de pesquisa da empresa Móveis Carlos Alfredo.»

Mas a Wewood surgiu com uma orientação diferente da Móveis Carlos Alfredo, ou seja, «produzir e vender peças de design intemporais», diz. «Design esse ligado ao nosso know-how de várias décadas de trabalho em madeira maciça, tendo por base parcerias com designers nacionais e internacionais. Grande parte do trabalho destes móveis é ainda feito manualmente com técnicas avançadas de marcenaria», diz.

«Passámos alguns anos a desenvolver os primeiros esboços e protótipos e a criar uma marca destinada ao mercado internacional, numa altura em que não havia muitas marcas portuguesas deste género», diz ainda Hugo que define o target da Wewood como «sobretudo profissionais, arquitetos e designers de interiores, promotores/construtores e retailers».

A marca está atualmente presente em 46 países, com um volume de negócios anual de cerca de 1,5 milhões de euros. Os principais mercados são França, Inglaterra, EUA e China.