House of Bijan: a loja de roupa de homem mais cara do mundo

Por aqui, um fato pode custar 21 mil euros. E uma gravata 865. Para visitar esta loja em Beverly Hills, só mesmo com marcação. É assim na House of Bijan, a loja de homem mais cara do mundo, que tem um Bugatti amarelo estacionado à porta.

Com 42 anos de história, a House of Bijan, está de novo na boca do mundo. Em causa está o julgamento do ex-diretor de campanha de Trump, Paul Manafort, suspeito de evasão fiscal e fraude bancária. À baila, no tribunal, veio uma das compras extravagantes de Manafort: um relógio edição limitada de titânio Bijan «Royal Way» que custou 21 mil dólares.

O estilo de vida do ex-diretor de campanha do presidente Donald Trump tem sido escrutinado, e fala-se em mais de 450 mil euros gastos na House of Bijan.

Quanto à loja, com sediada em Beverly Hills, Los Angeles, utiliza materiais desde pele de crocodilo a couro de canguru, em modelos que são exclusivos e repletos de cor. E que a marca considera como obras de arte. Cada fato é único, de edição limitada.. A marca, fundada por Bijan Pakzad, em 1976, é agora gerida pelo filho, Nicolas Bijan Pakzad em estreita colaboração com o sócio do pai Dar Mahboubi e a esposa Manijeh Messa.

Procurada por muitas figuras de renome e de poder, a House of Bijan já vestiu o ex-presidente Clinton, George H.W. Bush, George W. Bush, Barack Obama, os reis da Espanha, o ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair, o presidente russo Vladimir Putin, designers de renome como Oscar de la Renta, Tom Ford e Giorgio Armani, e uma lista de celebridades como Tom Cruise e Anthony Hopkins.

A marca não se dedica apenas a roupa de homem. Em 2014, Nicolas lançou uma coleção feminina, começando com uma bolsa sob encomenda em pele de jacaré e diamantes que custava entre 55 e 150 mil euros.