Relógio de Paul Newman vai a leilão

Para quem gosta de «tomar o pulso» ao que de mais valioso existe no mundo dos relógios, há uma data a ter em conta: 20 de junho, o dia em que uma das mais desejadas relíquias vai a leilão na Bonhams, em Londres. Trata-se do Rolex Oyster Sotto, que teve um único dono nos últimos 50 anos: Paul Newman. E que pode valer licitações entre os 340 e os 460 mil euros.

Em 1960, o ator norte-americano tornou esta peça famosa, depois de a usar durante a promoção do filme «Winning», uma vitória para a marca que viu o relógio tornar-se uma verdadeira relíquia. O prestigiante «Oyster Sotto», que se distingue pelo mostrador preto e branco, é mesmo considerado o Santo Graal para muitos colecionadores. De acordo com o site da leiloeira, existem menos de 20 relógios deste modelo.

De recordar que em outubro passado, durante um leilão da casa Phillips em Nova Iorque, outro dos relógios de Paul Newman, o Rolex Daytona, de 1968, foi vendido a um licitador por 15,3 milhões de euros, batendo o recorde de relógio de pulso mais caro de sempre. O modelo de aço inoxidável e pulseira de pele de crocodilo tinha sido oferecido ao também realizador pela mulher, a atriz Joanne Woodward.

Mas o relógio de Newman não será a única estrela do leilão da Bonhams. Outro dos destaques é o Rolex Daytona Desert Eagle, um relógio de 1970, que era oferecido pelos governantes dos Emirados Árabes Unidos a representantes de alta patente e que, por isso mesmo, no mostrador de aço inoxidável apresenta o brasão do país árabe. Uma preciosidade que vai a leilão e que pode valer entre 170 mil e 290 mil euros.

Também a Heuer se junta à lista da leiloeira com uma coleção privada: um elegante «Skipperera», um modelo também de 1970 (23 mil a 34 mil euros), com um mostrador azul, verde e coral, e ainda um Monaco Dark Lord de 1974 (29 mil a 40 mil euros), um relógio preto, sóbrio, digno de qualquer vilão de um filme do James Bond.