Hockney pode tornar-se artista vivo com a peça mais cara do mundo

Com um quadro que pode ser vendido por 69 milhões de euros, David Hockney pode tornar-se no artista vivo com a obra mais cara do mundo em leilão.

Em causa está o quadro «Portrait of an Artist (Pool with Two Figures)», pintado em 1972 pelo artista britânico. A obra pertence ao milionário Joe Lewis, que tem uma coleção e arte que inclui peças de Pablo Picasso, Henri Matisse, Francis Bacon e Lucian Freud e que é também o dono do clube inglês Tottenham Hotspur Football Club.

No quadro vê-se um homem de calções de banho, a nadar numa piscina, enquanto alguém assiste ao momento. Esse alguém é o ex-namorado de Hockey, o artista Peter Schlesinger. A peça foi pintada em Londres , com base em fotografias tiradas no Le Nid du Duc, no sul da França.

O proprietário do quadro está em conversações com algumas leiloeiras, entre as quais a Christie’s, Phillips e Sotheby’s.

Se for vendido por 69 milhões de euros, Hockney tornar-se-á o artista vivo mais caro do mundo, batendo o recorde alcançado pela escultura de Jeff Balloon, da Orange. A peça foi vendida pela leiloeira Christie’s em 2013 por 51 milhões de euros.

Quanto a Hockney, a peça mais cara já vendida do artista, valeu 23 milhões de euros: a tela a óleo «Pacific Coast Highway and Santa Monica», datada de 1990.

A peça que agora vai a leilão esteve no ano passado em exposição no the London Tate, uma mostra exposição que percorreu as seis décadas de carreira do artista britânico.