Do Porto a São Pertersburgo: 5 exposições para as férias de Natal

Tic tac. O ano está a acabar e há boas exposições prestes a fechar. Do Porto a São Petersburgo, uma mão-cheia de propostas.

Texto de Marina Almeida

ROBERT MAPPLETHORPE: PICTURES
Fundação Serralves, Porto

As fotografias de um dos mais influentes fotógrafos do século xx estão no Porto. Uma seleção de 159 obras de Robert Mapplethorpe (Nova Iorque, 1946–1989, Boston), entre as quais imagens icónicas como o retrato de Patti Smith, Iggy Pop ou os autorretratos de Mapplethorpe. Uma viagem pela carreira do artista, desde as primeiras polaroides até às fotografias de nus, retratos e imagens de cariz sexual. A exposição é comissariada por João Ribas (diretor do museu, que entretanto se demitiu) e organizada em colaboração com a Robert Mapplethorpe Foundation.
Até 6 de janeiro

 

Exposição de Robert Mapplethorpe em Serralves

 

BASQUIAT/SCHIELE
Fundação Louis Vuitton, Paris
É um magnifico dois em um. A Fundação Louis Vuitton, em Paris, apresenta duas exposições que põem em diálogo génios da criação do século xx. Obras de Jean-Michel Basquiat (1960-
-1988) e Egon Schiele (1890-1918) apresentadas em duas mostras distintas, com curadoria
de Suzanne Pagé, diretora artística da fundação. As obras dos artistas não se mostram ao público em relação direta, mas no final da visita às duas exposições fica uma conversa duradoura.
Até 14 de janeiro

Autoretrato de Basquiat (FLV)

 

THE CLOCK, CHRISTIAN MARCLAY
Tate Modern, Londres
É preciso tempo para ver a desafiante instalação de vídeo de Christian Marclay. The Clock é uma longa-metragem de 24 horas, com montagens de pedaços de filmes que remetem para relógios e para… o tempo. O artista suíço-americano convocou para esta reflexão Audrey
Hepburn no Breakfast at Tiffany’s, entre muitos outros. Uns correm, outros esperam, mas ninguém parece estar bem com o tempo que tem. Quem já viu diz que é uma espécie de transe. A provocadora instalação está na Tate Modern.
Até 20 de janeiro

Still de The Clock (Tate Modern)

ANNIE LEIBOVITZ
Museu Hermitage, São Petersburgo
Fotografias que a norte-americana ofereceu ao Museu Hermitage, de São Petersburgo. O retrato de Leonardo di Caprio é um dos que integram a exposição, com curadoria de Marina Schults e Daria Panaiotti. Annie Leibovitz começou a carreira a fotografar o mundo da música, na Rolling Stone, mas depressa se tornou a fotógrafa por excelência de estrelas de cinema, políticos ou artistas, que coloca em pose nos seus locais de eleição. Inesquecível o retrato dos bailarinos Mikhail Baryshnikov e Rob Besserer.
Até 21 de janeiro

ALBERTO GIACOMETTI, UMA RETROSPETIVA
Museu Guggenheim, Bilbau
Uma viagem por mais de quatro décadas de criação, feita em duzentas peças (escultura, desenho e pintura) do artista suíço, para ver em Bilbau, em Espanha, depois de ter passado pelo Canadá e por Nova Iorque. A obra de Alberto Giacometti (1901-1966) marca importantes períodos da história da arte, como o surrealismo ou o cu
bismo. Oportunidade para ver as suas delicadas esculturas, que quase se tornam humanas perante os nossos olhos.
Até 24 de fevereiro

Uma das galerias do Guggenheim com a obra de Giacometti (Guggenheim Bilbau)