Ofícios portugueses chegam a Paris na maior feira do mundo de decoração

A carregar vídeo...

Segunda edição do Luxury Design & Craftsmanship Summit, organizado pelo Covet Group, decorre em janeiro de 2019 durante a Maison & Objet. O anúncio foi feito depois da estreia do evento, em Gondomar, pelo CEO do grupo português Amândio Pereira.

Por Marina Almeida Fotos de Rui Oliveira e Artur Machado/Global Imagens

Os artesãos e os seu ofícios, designers, «thinkers» e «makers» na designação de Amândio Pereira, juntaram-se durante dois dias no Pavilhão Multiusos de Gondomar para debater o estado da arte do craftsmanship. O Covet Group, que detém, entre outras, a marca de mobiliário de luxo Boca do Lobo, quer colocar sob os holofotes os «makers», durante anos escondidos atrás das paredes das fábricas enquanto as peças eram expostas em salões internacionais», disse o seu CEO na estreia do Luxury Design & Craftsmanship Summit.

Feliz no balanço dos trabalhos, por onde passaram perto de duas dezenas de oradores, Amândio Pereira anunciou a segunda edição da iniciativa em janeiro em Paris, durante a Maison & Objet. O CEO do Covet Group confirmava as expetativas altas do dia de abertura do Luxury Design & Craftsmanship Summit 2018, mais uma iniciativa no sentido de «elevar o design e o craftsmanship» a juntar-se à recém-criada Brhands Foundation, também do grupo empresarial português. Relevou o facto de serem peças «feitas por humanos numa era tão tecnológica e de tanta inteligência artificial.»

No final dos trabalhos, Amândio Pereira anunciou a parceria entre a Boca do Lobo e a Vista Alegre: estava ali o móvel pixel a revestir-se de azulejos pintados à mão da marca centenária.

Enquanto decorriam as conferências, com os participantes sentados nos sofás da Boca do Lobo, as luzes da sala apagavam-se. O público – muitos jovens estudantes acorreram ao evento – assistiu às sessões rodeado de bancadas de trabalho de artesãos. Quando as luzes se acendiam, os holofotes incidiam sobre estes ofícios. Durante o Summit, os participantes puderam assistir a várias demonstrações de artes e manualidades, de arraiolos a talha. Num dos espaços, a pintura de azulejos. No final dos trabalhos, Amândio Pereira anunciou a parceria entre a Boca do Lobo e a Vista Alegre: estava ali o móvel pixel a revestir-se de azulejos pintados à mão da marca centenária.

A Boca do Lobo trabalha desde a sua fundação, há 15 anos, muitos destes ofícios que agora quer «partilhar com todos». Marco Costa, designer da Boca do Lobo e um dos participantes dos painéis, considerou que há ainda «muitas artes por explorar e muitos casamentos por fazer», referindo-se ao trabalho da marca de mobiliário com as artes tradicionais portuguesas.

Ana Teresa Lehmann, secretária de Estado da Indústria, presente na sessão inaugural, referiu que o país «tem um grande futuro na indústria do luxo»

Durante o Luxury Design & Craftsmanship Summit foram abordadas várias questões, como a articulação entre quem faz e quem pensa, a internacionalização, o valor do produto português e a falta de rejuvenescimento desta mão-de-obra de qualidade elevada. Ana Teresa Lehmann, secretária de Estado da Indústria, presente na sessão inaugural, referiu que o país «tem um grande futuro na indústria do luxo» e acentuou que «a tradição em Portugal é um ativo estratégico e fundamental para proteger a nossa indústria lá fora». Sublinhando a vontade do governo «atrair jovens para a indústria», aludiu ao programa Indústria 4.0, de incentivos à indústria digital, dizendo que não são incompatíveis: «casam muito bem, as artes tradicionais e a tecnologia».

Fátima Santos, secretária geral da Associação de Ourivesaria e Relojoaria de Portugal (AORP) teve uma entusiástica intervenção, apresentando o programa Quem Faz as Nossas Joias, em que dá precisamente rosto aos joalheiros e artífices de metais preciosos. «Quando o mundo falava em tecnologia de ponta, projetos mais evoluídos, telemóveis, nós olhámos para dentro e fomos ver aquilo em que somos mais autênticos», disse.

A primeira edição do Luxury Design & Craftsmanship Summit decorreu nos dias 20 e 21 de junho no Pavilhão Multiusos de Gondomar e refletiu a importância do craftsmanship para o setor do luxo, o design como impulsionador dos ofícios locais e o craftsmanship como ferramenta de marketing ao serviço das marcas de luxo.

O Covet Group anunciou já a construção da cidade do design, a Covet Town, em Gondomar, um investimento de 50 milhões de euros que deverá estar concluído em 2020. A holding quer juntar neste espaço as 43 empresas do grupo, criar um museu, um espaço para residências artísticas, assim como um supermercado, entre outras valências.