Documentário desvenda segredos de viagem a um Portugal desconhecido

Uma viagem mágica às profundezas de um Portugal desconhecido. Este é o ponto de partida para «Movement – A journey into creative lives». O documentário debruça-se sobre a diversidade e características únicas de Portugal, muito focado em personalidades e histórias de vida. O projeto é da MINI e foi exibido recentemente durante o Nomad Film Festival, uma Mostra de Cinema de Viagem e Aventura que decorreu em Matosinhos.

Texto de Patrícia Tadeia

Realizado por Tobias Ilsanker e produzido por Philip Zylla, o filme é protagonizado por Francisco Cipriano. O modelo especialista em geografia e planeamento local e regional, e um verdadeiro amante do surf, assume o papel de narrador e condutor nesta jornada.

Desde a azáfama da capital à calma e tranquilidade do litoral alentejano, sempre com a prancha como companheira, ficamos a conhecer a história de 11 personagens diferentes, que têm a paixão por Portugal como elemento comum. Entre eles estão ainda o mais antigo surfista português Pedro Lima, a produtora de vinho, Ana Hespanhol, ou o alpinista, Leopoldo Faria.

«Este documentário, que revela os diferentes estilos de vida de alguns portugueses, nasceu tão simplesmente da curiosidade e da proximidade que sentimos deste fantástico e tão diverso país; das suas pessoas e dos seus aspetos culturais e históricos únicos», começa por dizer Tobias Ilsanker, realizador e cinematógrafo alemão apaixonado por Portugal, para onde viaja há já 10 anos e onde vive atualmente. «Uma das principais mensagens que queremos passar é a de que afinal podemos viver a vida que sempre almejámos, e que a paixão nos vai ajudar e guiar ao longo de um percurso que está, muitas vezes, repleto de obstáculos, dúvidas e fracassos», explica.

«O filme nasceu tão simplesmente da curiosidade e da proximidade que sentimos deste fantástico e tão diverso país.»

Entre as reações ao filme Tobias destaca algumas: «Ficámos muito surpreendidos com o número de pessoas que disseram que, ao ver este filme, sentiram ainda mais orgulho em serem portuguesas e que é fantástico poderem ver o seu país desta perspetiva. As pessoas dizem-nos que o filme as desafiou e fê-las pensar nas suas formas de vida e no modo como os protagonistas vivem as suas vidas.»

No documentário, são descritas as raízes de um Portugal profundo e desconhecido que se cruzam com histórias de determinação, coragem e resiliência, protagonizadas por surfistas, artesãos, ambientalistas e amantes da adrenalina de diferentes faixas etárias.

A carregar vídeo...

Todas essas histórias narradas por Francisco Cipriano. «O Movement é um filme narrativo sobre a diversidade de Portugal e sobre personagens únicos e que têm estilos de vida diferentes. Conta histórias pessoais fantásticas, unidas pela paixão, determinação, coragem e introspeção e sobre a sua/nossa profunda relação com a natureza. Quando olho para o resultado final fico muito orgulhoso. Orgulhoso pelo resultado, pois corresponde às nossas expectativas e orgulhoso por o termos conseguido fazer. Foi um longo caminho. Dois anos, entre conceção da ideia, filmagens por Portugal inteiro e depois toda a fase final de edição e pós produção. É incrível como chegámos até aqui e como chegámos de uma forma tão surpreendente», refere à DN Ócio.

«Aventura, motivação e amizade» são para Francisco as três palavras que definem a película. E confessa que aprendeu muito com este trabalho. «Aprendi que é essencial fazer escolhas, que somos livres de mudar, de experimentar, que na maior parte das vezes é tudo uma questão de expectativas e que em todas as situações, somos nós os responsáveis pelas mudanças, tal como os alpinistas, fazer o nosso próprio caminho. Esta é a minha mensagem. Se não para outros, para mim mesmo», afirma.