Desenhos inéditos de Siza Vieira mostram-se em Berlim

Siza Vieira desenha durante uma entrevista em 2014 (Adelino Meireles / Global Imagens)

Os desenhos do arquiteto chegam ao Museu do Desenho de Arquitetura, em Berlim. A arquitetura de Siza e Álvaro Siza desenhado pela mulher, Maria Antónia. Siza – Unseen & Unknown inaugura dia 21 e está integrada no centenário da Bauhaus.

A Bauhaus fechou as portas no ano em que Álvaro Siza nasceu: 1933. “Ele é talvez o último modernista vivo ou, no limite, a mais significativa voz a carregar o inacabado projeto modernista ao longo do século XXI”, refere a Fundação Tchoban que, em parceria com a embaixada portuguesa na Alemanha, organiza a exposição.

Esquisso da Faculdade de Arquitetura do Porto por Siza Vieira, 1987 (Museum of Architectural Drawing)

Durante três meses, o Museu do Desenho de Arquitetura acolhe um conjunto de cem desenhos do arquiteto português, prémio Pritzker em 1992. São esquissos do seu arquivo pessoal, assim como desenhos provenientes de coleções de amigos ou família. “Focam não só o legado profissional, mas também o familiar, em que Maria Antónia Siza (1940-1973) tem o papel central”, refere a organização.

Com curadoria de António Choupina, arquiteto, e Kristin Feireiss, do Forum de arquitetura Aedes, a mostra está dividida em dois espaços. “Um mais dedicado ao percurso internacional do arquiteto Siza, que começa exatamente em Berlim, com o projeto ‘Bonjour Tristesse’ [de Siza] e os concursos do IBA [Internationale Bauaustellung ou exposição internacional de arquitetura], e que depois seguirá até ao momento presente, tendo em conta que ele inaugurou, no ano passado, o museu da Bauhaus na China”, disse António Choupina, à agência Lusa.

Outro dos espaços está dedicado “ao legado mais pessoal, ou seja, como é que os múltiplos legados afetam a obra de um arquiteto, em que entrará também a obra desenhada da mulher, Maria Antónia Siza, do filho, Álvaro Leite Siza, também arquiteto, e do neto, Henrique Siza, que se encontra a fazer Erasmus em Berlim”, referiu.

Retrato de Álvaro Siza pela mulher Maria Antónia em 1970 (tinta da China sobre papel) (Museum of Architectural Drawing

A Bauhaus, escola de arquitetura, arte e design fundada por Walter Gropius em 1919 assinala este ano o seu centenário com um vasto conjunto de iniciativas. A exposição Siza – Unseen & Unknown surge no âmbito das comemorações do centenário e está patente até 26 de maio. Amanhã Álvaro Siza vai estar num debate sobre o Legado Bauhaus, em que participam a diretora da Fundação Bauhaus, Claudia Perren e Sergei Tchoban, fundador da Tchoban Foundation. Às quatro da tarde no Aedes Metropolitan Laboratory.


Veja também

Portugal sem finalistas no prémio Mies van der Rohe