A banana da Madeira chegou à Bordallo Pinheiro

O centro de mesa com assinatura da designer madeirense Nini Andrade e Silva

Empresa de faianças apresentou duas coleções de inspiração tropical na Maison & Objet, em Paris. Uma delas celebra a banana da Madeira e tem a assinatura de Nini Andrade Silva, designer portuguesa nascida no Funchal.

Banana da Madeira by Nini Andrade Silva e Amazônia, by Ecoarts são as novas coleções da Bordallo Pinheiro. Uma inspiração tropical para a fábrica centenária, sedeada nas Caldas da Rainha. Recuperando o legado naturalista de Raphael Bordallo Pinheiro, surge com duas novas abordagens às formas vegetais.

A coleção Banana da Madeira resulta de uma parceria com a designer Nini Andrade Silva. É composta por peças utilitárias e decorativas, inspiradas na banana e na bananeira onde não falta sequer a casca de banana que surge em versão travessa. Uma das peças mais impactantes é o centro de mesa com dezenas de bananas amarelas alinhadas, mas há também um jarro e uma saladeira inspirados na folha de banana. Os preços das peças desta série variam entre os 15 e os 250 euros (sendo a mais cara o centro de mesa).

O jarro inspirado em folhas de bananeira

Para além destas peças, a designer madeirense criou para a Bordallo Pinheiro a obra Banana Prata Madeira. Trata-se de uma edição limitada a 125 exemplares, e custa 2100 euros cada.

Na coleção Amazōnia by Ecoarts, espécies da Amazónia chegam à faiança das Caldas da Rainha. Entre as variedades agora fixadas em cerâmica, encontram-se as folhas de Victoria Regia (o maior nenúfar do mundo), Buritis, Pentes de Macaco, Marmelos da Mata e Jacarandás Mimosos. A coleção foi desenvolvida em parceria com a Ecoarts, uma entidade brasileira sem fins lucrativos, sedeada no Mato Grosso, que desenvolve, com intervenção dos povos indígenas locais, projetos de economia circular baseados na natureza, transformando resíduos florestais não madeireiros (como folhas, ou sementes) em objetos de arte. Por cada peça vendida, uma árvore será plantada na Amazónia (os preços variam entre 28 e 130 euros).

O nenúfar gigante da coleção Amazonia by Ecoarts

Alguns clássicos da Bordallo foram também relançados, numa coleção agora chamada Censurada, que inclui as jarras Bailado de Rãs e Friso de Rãs, as esculturas Cão Fó, Galinha, ou a Cabeça de Touro – esta última custa 1200 euros. As peças tiveram intervenções de cor, refere a empresa. Também a alcachofra mereceu destaque na feira Maison & Objet, que decorreu em Paris, onde se apresentou nas suas diversas formas cerâmicas, de travessa a caixa ou tigela.

 

[Notícia atualizada dia 29 de janeiro, com a informação dos preços das coleções]